terça-feira, 22 de maio de 2018

Rádio lança música construída a partir de versos de Fábio Mozart

Arnaud Neto é autor da música "Evacuação", com letra de Fábio Mozart


A Rádio Zumbi, de João Pessoa, está lançando em sua play list a música “Evacuação”, melodia e interpretação do multi instrumentista Arnaud Neto, letra de Fábio Mozart, com produção da banda Classic Band. A música é veiculada todos os dias, às 10 horas, no endereço eletrônico da emissora: www.radiozumbi.com.br 

Dalmo Oliveira, diretor de programação da Rádio Zumbi, destacou que a música fala poeticamente de atitude e resistência, “dialogando com a realidade e contestando o status quo.” Para ele, é função da rádio livre e comunitária divulgar os artistas locais, “principalmente os que utilizam a arte para fortalecer a cidadania.”

Fábio Mozart já teve sua música “Pátria armada” selecionada para o CD de música paraibana do Sesc em 2011. Em 2016, a canção “Toada de terreiro”, música de Fábio Mozart e Orlando Otávio, foi uma das escolhidas no Edital de Seleção para participação no CD “Music from Paraíba III”, promoção da Fundação Espaço Cultural. A música tem execução da banda Sonata, sob a liderança do saxofonista Arnaud Neto.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

STF autoriza proselitismo na programação das rádios comunitárias


Por 7 votos a 2, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou o artigo da lei 9.612/98 que proibia o proselitismo nas rádios comunitárias. Na prática, isso significa que esses veículos podem colocar na programação conteúdo que tem a intenção de doutrinar os ouvintes de forma religiosa, política ou ideológica. O ministro Alexandre de Moraes, relator da ação, votou para que o artigo fosse mantido. Para ele, considerou que a lei deveria impedir o uso político e religioso destes veículos de comunicação. “Aqui o que nós temos, é a utilização de concessões estatais com finalidade específica, a prevalecer a divergência, o proselitismo religioso”, disse.

No entanto, a maioria dos integrantes da Corte seguiu o entendimento do ministro Edson Fachin, que declarou que a legislação das rádios comunitárias violava a Constituição Federal, por impedir a liberdade de expressão. "Ao julgar recurso em HC afirmei que, no que toca a liberdade de expressão religiosa, cumpre reconhecer que o discurso proselitista é da essência do seu integral exercício, de tal modo a finalidade de alcançar o outro mediante a persuasão", afirmou. 



segunda-feira, 14 de maio de 2018

Cuba tem democracia

 



De volta ao POLÍTICA PARA O BEM, o jornalista Dalmo Oliveira fala sobre a transição política em Cuba, entre outros temas.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Avanço nas rádios comunitárias do Uruguai eleva o país no ranking da liberdade de imprensa



De acordo com a classificação mundial de liberdade de imprensa, divulgada pela organização Repórteres sem Fronteira, o Uruguai está na 20ª colocação no mundo, enquanto o Brasil ocupa a 102ª colocação. O Uruguai é visto como um modelo para a América do Sul porque, de acordo com Repórteres sem Fronteira, “as regulamentações de rádios comunitárias garantem um ambiente favorável aos jornalistas. A Lei dos Serviços de Comunicação de Radiodifusão, adotadas em dezembro de 2014, incentiva o pluralismo dos meios de comunicação e estabeleceu um Conselho de Comunicações de Radiodifusão, independente do Governo.
Para o coordenador de comunicação e cultura da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias (Abraço), José Guilherme Castro, vários países da América do Sul estão avançando positivamente na questão e deixam o Brasil numa situação cada vez mais vergonhosa.
“No Uruguai, o direito de falar deixa de ser caso de polícia e passa a ser potencializado pelo Estado. Mudança de enfoque total. Que essas ondas de liberdade possam atingir o Brasil. Quem aqui no Brasil tem o dossiê que sabe o que é movimento de radiodifusão comunitária? É a Polícia Federal”.
De acordo com José Guilherme, nos últimos cinco anos cerca de cinco mil pessoas foram condenadas pela Justiça no Brasil por trabalharem com comunicação comunitária. Ele também destaca que o valor dos equipamentos apreendidos pela Polícia Federal representa mais do que o triplo dos recursos do Estado para projetos culturais.


quarta-feira, 25 de abril de 2018

ALO COMUNIDADE 2104 2018 CORDEL THIAGO ALVES FABIO MOZART

 



Nesta edição Fabio Mozart e Thiago Alves batem um papo sobre a Literatura de Cordel e outros assuntos culturais.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Campanha on-line busca ajuda para rádio comunitária paraibana se regularizar

Dalmo Oliveira é diretor de programação da Zumbi

A rádio Zumbi FM, emissora comunitária do conjunto Ernesto Geisel, em João Pessoa, capital da Paraíba, lançou hoje (21) uma campanha para arrecadar R$ 11.500 e garantir o procedimento de licenciamento, após negativas do Ministério das Comunicações. A coleta está sendo feita contando com apoio dos amigos e simpatizantes, e consiste no pagamento de R$ 100 reais destinado a um jantar colaborativo, com direito a diploma de Sócio Benemérito.

A rádio comunitária foi fundada em 1998, sem fins lucrativos, administrada por moradores da comunidade, com programas de notícias locais, serviços de utilidade pública e músicas tocadas por artistas da região.

Neste ano, a rádio Zumbi FM tem grande possibilidade de se regularizar. Mas antes, a emissora tem de pagar as multas, os honorários de advogados e realizar a substituição de equipamentos, além de reforma no estúdio. Esses gastos totalizam aproximadamente R$ 11 mil, segundo os cálculos dos idealizadores da campanha. As doações podem ser feitas diretamente com Dalmo Oliveira, Fábio Mozart, Marcos Veloso, João de Deus Rafael, João Jales, Roberto Palhano ou Fabiana Veloso, componentes da direção da emissora.

A Rádio Zumbi permanece no ar através da internet. “A Zumbi é um exemplo de todo um universo de rádios comunitárias brasileiras que lutam para exercer seu direito à liberdade de expressão, mas que enfrentam enormes obstáculos, que variam da burocracia excessiva à criminalização das rádios”, disse o advogado João de Deus Rafael, atual coordenador do coletivo da emissora.

terça-feira, 17 de abril de 2018

ALO COMUNIDADE 14042018

 



Nesta edição entrevistamos o ativista pela reforma agrária na Paraíba, Sidney Oliveira. Produção e apresentação de Dalmo Oliveira. Locução e apoio de estúdio de Beto Palhano. Sonoplastia de Maurício José e de Beto Lucas.