Ouça nossa webradio

domingo, 30 de maio de 2010

Rádio Comunitária Diversidade repudia violência na periferia de João Pessoa


Estúdio da Rádio Comunitária Diversidade - Jardim Veneza - João Pessoa-PB

Todo apoio às famílias vitimadas pela violência na periferia

MOÇÃO DE SOLIDARIEDADE E DE REPÚDIO

Todo apoio às famílias vitimadas pela violência na periferia.
Não à criminalização da pobreza e ao extermínio da juventude das periferias de João Pessoa-PB.

Nós, abaixo assinado, manifestamos nossa mais firme e irrestrita solidariedade às famílias vitimadas pela violência na periferia das cidades grandes. Em João Pessoa – PB, na comunidade Jardim Veneza, mais uma família vítima de um processo de violência. Casos de jovens cujas vidas são tiradas… Não é natural!
O último caso foi do jovem Ramon, um dos membros fundadores da Rádio Comunitária Diversidade do Jardim Veneza, articulador do coletivo de teatro vinculado a paróquia da comunidade, 22 anos, trabalhador. No dia 13 de abril andando de motocicleta, em momento de lazer, é “confundido” com um assaltante e leva um tiro na nuca, morrendo na hora. Não podemos aceitar que foi mero equívoco. Quem atirou?
Em menos de uma hora seu corpo é retirado do local pela polícia e encaminhado para o IML (quando ocorrem mortes nas periferias é comum a policia demorar cerca de 6 horas). No IML é fichado sem identificação pessoal ou familiar. A mídia dá seu veredicto, no dia seguinte, lança “mais um bandido é morto no Jardim Veneza”. A morte sensacionalizada, tratada como um espetáculo e vendida como mercadoria.
A comunidade mobiliza-se em repúdio ao acontecido. As famílias vítimas da criminalização da pobreza se mobilizam, em marcha simbolicamente.

Ato pela paz: contra a violência no Jardim Veneza
Dia 29 de maio às 9:00 horas
Local: Em frente à Rádio Comunitária Diversidade do Jardim Veneza
Marcha e Ato Ecumênico

Assinam:
ASSEMBLEIA POPULAR NA PARAIBA
ESTAGIO NACIONAL DE EXTENSÃO EM COMUNIDADES – ENEC
RADIO COMUNITARIA DIVERSIDADE

Serra Branca/PB recebe evento de Radcoms

Neste sábado 29 de maio, diversas rádios da região de Monteiro reuniram-se em Serra Branca. O evento foi na Câmara de Vereadores, com início às 9 horas.

“No primeiro momento as rádios verbalizaram até por escrito suas histórias de lutas com desafios e avanços. Seguiu-se um debate. Depois tivemos a palavra da ABRAÇO-PB, que além das informações de âmbito estadual trouxe também nacional”, informa o coordenador geral da entidade, José Moreira.

Segundo ele, a palestra fez alusão à importância das rádios comunitárias, perspectivas de sobrevivência e traçou estratégias para fortalecimento do movimento de rádios comunitárias. Também foi instalada a Coordenação Regional da Abraço-PB.

Com o blog da ABRAÇO-PB

sábado, 29 de maio de 2010

Ponto de Cultura estréia hoje programa de rádio na Rainha FM


Sueli Joventino presta depoimento sobre seu trabalho com danças folclóricas, na edição inaugural do programa "Resenha Cultural"

Será hoje (29 de maio) a estréia do programa “Resenha Cultural”, do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, transmitido pela Rádio Comunitária Rainha, de Itabaiana/PB, das 16 às 17 horas. No programa inaugural, apresentado por Fábio Mozart, Marcos Veloso e Clévia Paz, serão ouvidos o Subsecretário de Cultura, Antonio Costta, o escritor Orlando Otávio e o músico Adeildo Vieira, entre outras personalidades de Itabaiana. O programa vai destacar os eventos comemorativos ao aniversário da cidade, durante a Semana Cultural Zé da Luz e Mestre Sivuca.

“É um programa à moda antiga, com notícias, bate-papos, entrevistas, poesia e sobretudo muita música popular paraibana de qualidade”, explicou Marcos Veloso, um dos apresentadores. Para ele, o programa é conduzido com muita propriedade por um grupo de rapazes e moças monitores do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, que participam das oficinas de rádio comunitária. “Nosso objetivo é formar comunicadores e ao mesmo tempo informar à população sobre as ações do Ponto de Cultura”, acrescentou.

Um depoimento de destaque no programa de hoje é do Cabo Jorge, líder do movimento negro na cidade e gestor de uma entidade que trabalha pelos direitos da população afrodescendente.

O ouvinte também pode conferir o conteúdo do programa na internet, em arquivo de áudio lincado nos blogs da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares (www.radiozumbijp.blogspot.com) que também retransmite, e no blog do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar (www.pccn.wordpress.com).

O programa faz parte do Projeto “Cantiga de Ninar”, com apoio do Ministério da Cultura, “Programa Cultura Viva”, e Sociedade Amigos da Rainha do Vale do Paraíba.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Rádio Comunitária Alternativa – Agudo/RS



Pessoal da rádio em oficina de radialistas comunitários em Porto Alegre

Em 27 de fevereiro de 2005 aconteceu o primeiro encontro de um grupo de nove pessoas com o objetivo de criar uma comissão provisória para fundação da associação de radiodifusão. Encontro realizado com êxito na rua Marechal Floriano, 07.

O nome Alternativa foi escolhido de forma democrática, com a participação dos associados em 25 de abril de 2005, oportunidade em que foram escolhidos os primeiros conselheiros comunitários.

O requerimento de demonstração de interesse começou a tramitar em Brasília no Ministério das Comunicações em 15 de maio de 2005, no serviço de documentação de radiodifusão comunitária.

Em 27 de janeiro de 2009 foi publicada no Diário Oficial da União a liberação para funcionamento em caráter provisório.

Somos hoje a ZYU 392 Rádio Alternativa FM 104.9 canal 285.
Endereço: Rua Marechal Floriano, 654 - Agudo - RS
CEP: 96540-000
Telefone: (55) 3265 1303

E-mail: alternativafm104.9@gmail.com

Mande fotos e notícias de sua rádio para o blog da Zumbi, pelo e-mail:

radiozumbifm@gmail.com

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Rádios comerciais se posicionam contra os clubes de futebol na Paraíba

A Associação de Radiodifusores da Paraíba, em encontro realizado ontem (25) na cidade de Guarabira, discutiu a lei que tramita no Congresso, que dá o direito de arena aos clubes de futebol. Pela lei, as rádios deverão pagar o direito de arena aos clubes pela transmissão dos jogos.

Para os proprietários de rádios comerciais, a lei é desfavorável ao negócio da radiodifusão. Eles pedem aos parlamentares paraibanos que se posicionem contra a aprovação da lei.

Para o Dr. Marcos Vinicius Grosmann, presidente da Corte de Justiça Arbitral do Paraná, “a partida de futebol é uma criação coletiva, que será inédita a cada jogo, é um espetáculo singular e próprio que não se repete nunca. É entendida como uma criação coletiva, cuja reserva da lei está acolhida no art. 5ª da LDA. Compete aos agentes também a contrapartida no direito de arena”.

STF determina que ‘A Voz do Brasil’ seja veiculada às 19h


O Supremo Tribunal Federal determinou que as afiliadas da Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (Agert) devem transmitir o programa radiofônico A Voz do Brasil em seu horário original, às 19h. Com a decisão, as emissoras que contavam com uma liminar para flexibilizar a veiculação terão de rever sua programação no horário.

Entre estas emissoras, está a Rádio Gaúcha, que a partir da próxima segunda-feira não levará mais ao ar o programa Gaúcha 19 Horas. A Agert espera que um novo recurso seja julgado pelo STF até o final do ano, quando deverá sair uma decisão final sobre o assunto.

A Agert havia conquistado o direito de alterar a programação, beneficiando suas 320 afiliadas, após uma longa disputa judicial em que obteve vitórias em duas instâncias da Justiça. Desde 2006, conforme o presidente da entidade, Alexandre Gadret, as empresas podiam optar por veicular outro programa às 19h e transferir a radiodifusão da Voz do Brasil para até 24 horas depois da edição original.

A Agert estima, com base em dados coletados pelo Ibope, que essa tolerância ajudou a aumentar em 300 mil ouvintes por minuto a audiência radiofônica na Região Metropolitana no horário anteriormente ocupado pelas informações oficiais.

— A conquista desse número de ouvintes quer dizer que o serviço que oferecemos é melhor. Não que a Voz do Brasil não seja importante, mas é mais para regiões onde não existe tanta qualidade de programação como nós somos capazes de oferecer — avalia Gadret.

A decisão foi tomada pelo ministro Celso de Mello e resultou no envio de um ofício por parte do Ministério das Comunicações à entidade gaúcha informando que a Anatel foi orientada a iniciar a fiscalização da nova determinação. Com isso, as empresas gaúchas foram orientadas ontem a retomar a antiga rotina.

A Agert, que reúne a maioria das emissoras do Estado, espera que até o final do ano um novo recurso seja julgado, desta vez de forma definitiva, pelo pleno do STF. Mas não há um prazo oficial para a apreciação da nova tentativa jurídica de flexibilizar a programação. Gadret avalia que o maior prejudicado pela decisão é o ouvinte, que perderá qualidade na programação, e faz uma analogia com outro tipo de serviço:
— É como se o governo determinasse que, das 19h às 20h, somente veículos oficiais poderiam circular em uma rodovia concedida. Os outros carros teriam de esperar. Com a obrigatoriedade de transmissão da Voz do Brasil num determinado horário, fica trancado o livre fluxo de informações — compara.

Na decisão, o STF informou que o horário obrigatório é previsto em legislação “recepcionada pela Constituição”. A Rádio Gaúcha, que transmitia a Voz do Brasil entre 4h e 5h da manhã, ocupará este horário da madrugada com programação jornalística.

Rádio Comunitária Agrolândia


Inaugurada oficialmente em 1 de fevereiro de 2004 a rádio comunitária de Agrolândia veio pra servir como mais um instrumento pra levar Agrolândia e suas cidades vizinhas rumo ao progresso.

Desde o primeiro momento, a participação do ouvinte foi decisiva nas suas transmissões.

Agrolândia é um município do estado de Santa Catarina. Localiza-se na microrregião de Rio do Sul, tendo como principal atividade econômica a agropecuária. Foi colonizada pelos alemães, sendo a principal etnia.

Envie a foto de sua rádio e resumo histórico da entidade para publicação em nosso blog.

domingo, 23 de maio de 2010

MARI/PB: Radialista acusa prefeito de causar aumento do consumo de drogas


Ex-prefeito Marcos Martins,de Mari

O radialista Severino Ramos, da Rádio Comunitária Araçá FM, de Mari/PB, acusou o ex-prefeito da cidade, Marcos Martins, de ter causado o aumento do consumo de drogas. Foi durante a apresentação do seu programa “Araçá em Debate”. Para o locutor, o consumo de drogas, lícitas ou ilícitas, entre a juventude da cidade, teve seus níveis alterados por causa das festas organizadas pelo prefeito, “alienando os jovens e atraindo traficantes”. O locutor convocou o ex-prefeito, que é pré-candidato a deputado, para conceder entrevista e responder à acusação.

O assessor da Prefeitura, Wagner Ribeiro, disse que é contrário à participação do ex-prefeito no programa porque “Severino tem usado a mídia para sujar a imagem de Marcos Martins e isso já ultrapassou todos os limites. Esse aumento no consumo de drogas não acontece só em Mari, mas no Brasil inteiro. Ele não diz o que Marcos fez de bom durante seus dois mandatos como prefeito em favor do povo de Mari”.

Do blog:

www.professorjosa.blogspot.com

RÁDIO NATIVA MIX FM 87,9 GOIOXIM


Em 4 meses e meio no ar a Rádio Nativa já e destaque no município, apesar de ter sua potência pequena 25W, permitido para Rádio Comunitária. Com suas programações bem distribuídas a vários públicos, entretenimento, informação, noticias, bem como reportagens direto da Rádio Senado de Brasília com notícias quentes na hora, Policiais, regionais em parceria com a Fonte NP. Além de programas religiosos locais e também em parceria com a Radio Evangelizar de Curitiba, com um jornalismo dando um giro na região.

Atinge o público local com um Show de audiência, tudo isso com profissionais da própria querência, o que torna mais em conta com uma ótima qualidade, irradiando das 5:00 da manhã até às 23:00 todos os dias.

SITE: radionativamixfm.no.comunidades.net fone 42 3656-1278

Postado por João Vilmar
FONTE: http://goioxim.blogspot.com/2010/05/radio-nativa-mix-fm-879-goioxim...

sábado, 22 de maio de 2010

Ponto de Cultura na Paraíba vai produzir conteúdo para rádios comunitárias


Radialistas comunitários Clévia Paz e Fábio Mozart

O Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, de Itabaiana/PB, terá um programa semanal nas rádios comunitárias Rainha, de Itabaiana, e Zumbi dos Palmares, em João Pessoa. O programa será produzido por Marcos Veloso, com apresentação de Clévia Paz e Fábio Mozart, colaboração de Joleda Fidelis, Das Dores Neta, Zé Severino, Val, Vital Alves, Nalva e Patrícia Helena.

O programa vai ao ar todos os sábados, a partir das 16 horas, com informações sobre eventos culturais da cidade e da Paraíba, entrevistas e inserções de conteúdos de outras rádios comunitárias que trabalham o segmento cultural com mais ênfase.

No programa inaugural, dia 29 de maio, o “Resenha Cultural” enfocará os eventos comemorativos do aniversário da cidade, com reportagens sobre lançamentos de livros e a Cavalgada da Integração 2010, que termina em 29 de maio com almoço na AABB e participação de músicos e dançarinos do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar.

Produzido coletivamente pelos jovens comunicadores e comunicadoras, nas oficinas de produção para rádio comunitária do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, o programa começa com entrevista do Secretário de Cultura do Município, Dr.Pedro José, que fala das políticas públicas para o setor. Com a aproximação da Copa do Mundo de Futebol, até o poeta pernambucano Ascenso Ferreira comparece declamando poesia sobre o tema. O programa inaugural também abordará matéria sobre afrodescendentes brasileiros, com conteúdo fornecido pela Rádio Holanda.

www.pccn.wordpress.com

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Sessão Especial discute rádios comunitárias na Bahia

ATENÇÃO

Militantes, colaboradores e simpatizantes do movimento pela democratização da comunicação, no próximo dia 28 de maio de 2010, sexta-feira, vai acontecer uma Sessão especial que discutirá o funcionamento das Rádios Comunitárias em nosso Estado, a realizar-se às 9h30mim, no Plenário Deputado Luis Eduardo Magalhães da Assembléia Legislativa do Estado da Bahia no CAB. Sua presença é mais que importante, compareçam.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Radialista comunitário pede mais atuação da ABRAÇO


Mais uma rádio da Bahia foi multada em R$ 3 mil reais pelo Ministério das Comunicações. O Minicom encontrou uma forma licita de impedir que as Radcom existam. Uma multa de 3 mil reais é a decretação do fechamento da emissora. Não podemos nos calar diante do novo AI 5 e da nova forma de Censura, precisamos ajudar financeiramente esta entidade ABRAÇO para que ela contrate advogado capacitado para fazer as defesas e interpelar judicialmente o Secretário Nacional de Radiodifusão e os servidores do Minicom. Somente assim a perseguição finalizaria. Vejam bem, se cada um de nós contribuir com 20 reais por mês para a Abraço ela se tornará forte igual ou mais imponente que a Abert, entidade a quem o Minicom é subalterno.

Não podemos aceitar, precisamos com urgência entrar na Justiça contra estas arbitrariedades. Não podemos esperar mais. Onde estão os deputados que dizem defender as radcom, só aparecem no ano eleitoral e somem? Queremos providências enérgicas já. Ao aplicar a multa, o Minicom tem a certeza de que impede o crescimento das Radcom. A Abert existe porque as comerciais pagam pela sua existência, e nós vamos ficar mendigando, esperando favor? Será que não podemos pagar também para ter uma ABRAÇO forte e atuante?

Somos 10 mil em todo país, outorgados são mais de 3 mil, somos abelhas separadas que juntas podem muito mais. Vamos todos abraçar a ABRAÇO, mas é pra já. Que se contrate um escritório de advogados forte, preparado, para os enfrentamentos jurídicos. Processar criminalmente os servidores pro prevaricação, e civilmente pelos prejuízos causados às comunidades que tenham sua rádio fechada ou multada. Chega de mendigar providências. E os candidatos a Presidente do Brasil, vamos pedir o apoio e compromisso com nossa causa.

Paulo Gurgel

domingo, 16 de maio de 2010

Ivinhema/MS - Prefeito denuncia site e locutor de rádio por levar ao ar críticas de internautas à sua administração


Renato Pieretti, prefeito de Ivinhema

O Prefeito Renato Pieretti Câmara (PMDB) do município de Ivinhema-MS registrou Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia de Polícia contra o site Ivinoticias e contra o locutor da Rádio Comunitária Itapoã FM, Leandro Souza de Oliveira.
A ocorrência foi registrada com o número 422/2010, versando sobre crimes de calúnia, injúria e difamação, baseando-se em mensagens postadas por internautas no site e
posteriormente lidos pelo locutor em seu programa.

Segundo apurou a reportagem, o prefeito teria se incomodado com algumas críticas feitas através de leitores do portal de noticias Ivinoticias, que foram
enviadas por alguns internautas, sendo que, as mesmas foram publicadas.

No último dia 07 de maio, o Delegado de Polícia Dr. Lupercio Degerone Lúcio, responsável pelo caso, ouviu o Sr. Jhonny Cabral dos Santos, proprietário do site e o locutor da emissora.

A maioria dos moradores do município ouvidos pela emissora comunitária sobre os fatos, estão lamentando o comportamento do Prefeito, pois, acham que quem conhece a postura e os atos dele, saberá analisar se os recadinhos são condizentes com a realidade ou se não passam de balelas de “ desocupados”.

Em contato com o repórter Jhonny Cabral do portal Ivinoticias, o mesmo se diz surpreso com as atitudes do jovem prefeito em levar o caso à justiça. “Vivemos em um país democrático e qualquer cidadão tem o direito e liberdade de expressão e o site
é um veiculo de comunicação que da espaço para as pessoas se manifestarem, porém isso incomodou o prefeito”. Disse Cabral.

http://abracocentrooeste.ning.com

Links sobre rádios livres


Textos reunidos pelo Coletivo Rádio Muda*
http://muda. radiolivre. org/?q=node/ 11

*Tradução do livro Radios Libres de 1978*
Escrito pelo collectif rádios libres populaires
http://estudiolivre.org/tiki- index.php? page=LesRadiosLi bres&bl;

*Rádios Livres: o outro lado da voz do Brasil*
Marisa Aparecida Meliani Nunes
Dissertação defendida em 26 de abril de 1995.
http://brasil. indymedia. org/media/ 2003/03/249584. doc

*O Movimento das Rádios Livres e Comunitárias e a
Democratização dos Meios de Comunicação no Brasil*
Cristiane Dias Andriotti
Dissertação defendida na Unicamp em abril de 2004.
http://www.midiaind ependente.org/pt/blue/ /2004/05/ 281592.shtml

*Rádios Livres: a reforma agrária no ar!*
Scanner do livro de Marcelo Mazagão, Arlindo Machado e Caio Magri de 1986
http://dodopublicacoes.wordpress.com/2009/03/15/radios-livres/


*Rádio Muda*
http://muda.radiolivre.org/?q=node/ 3

*Manual Rádio Livre*
http://www.youtube.com/results?search_query= manual+radio+ livre&aq=f

*Rádio Livre Xiado*
http://www.youtube.com/results? search_query=radio+livre+xiado&aq=f

*Rádio Livre Xibé*
http://www.youtube. com/results?search_query= radio+livre+ tef%C3%A9&aq=f

*Vídeos sobre a invasão da Rádio Filha da Muda, celebração na Xibé e outros*
http://www.youtube.com/results?search_query=radio+livre+ muda&aq=f

*Pirata?*
http://www.youtube.com/watch? v=O1_E5XQ2594&feature=PlayList&p=E1EDBE1D86AD4D5C&playnext_from=PL&index=0&playnext=1

*Entrevista com Armando Coelho Neto autor do livro "Rádio Comunitária não é
crime"*
http://www.youtube.com/watch? v=2vBq_1XOh1E

*Entrevista Rádio Comunitária não é Crime 2 durante Festival Mídia Tática,
2003*
http://www.youtube.com/watch?v=_uxeV9uQyjc&feature=related

sábado, 15 de maio de 2010

Ponto de Cultura terá programa em rádio comunitária


Radialista Clévia Paz


Na programação da Rádio Comunitária Rainha FM, de Itabaiana/PB, consta o programa “Resenha Cultural”, produzido pelo Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, que vai abordar temas relacionados à cultura e informar sobre os eventos do Ponto. O programa vai ao ar pela primeira vez em 29 de maio, às 16 horas.

Os produtores são Clévia Paz, Marcos Veloso e Fábio Mozart, com apoio técnico de Jacinto Moreno e colaboração de Joelda, Zé Severino, Val, Das Dores Neta, Nalva e Rose.

O jornalista Fábio Mozart afirmou que as rádios comunitárias, em sua maioria, preenchem 60% de sua grade de programação com músicas do mercado fonográfico, 30% de variedades, fofocas da TV e horóscopo, e apenas 10% de jornalismo, sendo a Voz do Brasil o principal noticiário. “É importante que uma rádio comunitária mantenha um programa de cunho cultural e informativo de qualidade, com conteúdo produzido na comunidade da emissora, com questões de interesse da sociedade, jornalismo com foco no cidadão”, acredita.

A partir de setembro, o Ponto de Cultura Cantiga de Ninar realizará oficina sobre Rádio Comunitária, abordando os seguintes pontos:

O Que é Rádio Comunitária - A Constituição Federal e a complementariedade dos Sistemas de Comunicação, conceitos gerais de Radcom, lei 9612 e suas limitações, rádios picaretárias (lucro, proselitismo religioso, promoção pessoal e politicagem), e Código de Ética.

Como Montar - Processos legais (construção da entidade Mantenedora,encaminhamento da manifestação de Interesse, Aviso de Habilitação, Morosidade), processos de envolvimento da Comunidade na construção da Radio, desobediência civil e repressão, equipamentos necessários.


Gestão Comunitária
- Papel e funcionamento da entidade mantenedora, papel do Conselho Comunitário, fonte de recursos para a manutenção (apoio cultural, mensalidade associados individuais, eventos)

Programação
- Programas jornalísticos, programas culturais, música, diversidade: racial, religiosa, opção sexual, gênero.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Diretor de rádio comunitária de Mari explica convocação da Câmara

Prezados companheiros do blog, segue abaixo informação da Direção da Associação Rádio Comunitária Araçá FM sobre a Sessão Especial.

Abraço,

Severino Ramos

Prezados companheiros e companheiras da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares quanto a demanda do Vereador Edivaldo do "Assentamento" requerendo uma Sessão Especial na Câmara de Vereadores de Mari para avaliar os trabalhos prestados pela Araçá FM nos últimos anos, tanto para mim quanto para os demais membros da direção da Associação Rádio Comunitária Araçá FM é motivo de satisfação, inclusive, eu já o parabenizei publicamente pela iniciativa, pois teremos a oportunidade impar de apresentar publicamente para os mais diversos e plural repr esentantes do governo brasileiro e da sociedade civil organizada, o trabalho que estamos prestando a comunidade de Mari através das Ondas da Araçá FM. Não temos motivos para nos envergonhar pelo trabalho que estamos realizando, muito pelo contrário: nos alegramos e nos orgulhamos profundamente dos serviços prestados à comunidade.Tampouco temos motivos para termos medo do que estamos fazendo, visto que todo o nosso trabalho é publico e é monitorado diariamente e em tempo real pelos inúmeros ouvintes que nos acompanham cotidianamente. Também matemos toda a nossa programação gravada, garantindo assim que qualquer cidadão ou cidadã possa acessar o conteúdo do nosso trabalho, quando desejar.

Nós que fazemos a Associação Rádio Comunitária Araçá FM temos a crença que a intenção do Vereador Edivaldo é meritória, o que ele estar fazendo é cumprir o seu papel de parlamentar, qual seja: acompanhar propor, e fiscalizar a qualidade dos serviços públicos oferecido à comunidade!Certamente, a oportunidade que o Vereador nos oferece será de grande valia para todos nós, pois só assim temos a chance de apresentar a todos, que interessar possa, o trabalho que estamos realizando, e muito mais do que isso: iremos ouvir muitas sugestões de ajustes e de melhoramentos para o nosso trabalho. Acreditamos que todos sairão ganhando!

Será uma grande oportunidade de se fazer consagrar o verdadeiro papel e valor que tem o Serviço de Rádio Difusão Comunitária do nosso País.

Companheir@s tão logo seja comunicado da realização da Sessão Especial, enviarei convite a todos vocês. Será uma grande alegria contar com a vossa presença nesse muito, e é claro: aprender com a experiência da co-irmã Zumbi dos Palmares.

Forte abraço a tod@s,

Severino Ramo do Nascimento

Diretor Presidente

Vereador dos “sem terra” questiona rádio comunitária em Mari/PB


O vereador Edvaldo Martins, representante do assentamento Tiradentes, no município de Mari/PB, fez aprovar requerimento na Câmara Municipal da cidade, no dia 11 de maio, solicitando Audiência Pública para discutir as finalidades, condições de execução e gestão do Serviço de Radiodifusão comunitária prestado em nosso município pela Associação Rádio Comunitária Araçá FM, convidando para fazer parte da referida Audiência ABRAÇO, Ministério Público Federal e Estadual, Ministério das Comunicações bem como associações comunitárias, igrejas, sindicatos e demais entidades do Município.

O vereador argumenta que a rádio comunitária local não vem atendendo aos fins a que se destina e ainda dificulta o ingresso de cidadãos nos seus quadros sociais, mantendo um grupo político fechado comandando a emissora “que deveria ser controlada pela sociedade”.

Fonte: www.marifuxico.blogspot.com

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Em Choró/CE, ouvinte também reclama de politicagem na rádio comunitária


O blog recebe mensagem de ouvinte de Choró, sertão central do Ceará, onde o diretor da emissora comunitária local, Antonio Borges de Oliveira, é acusado de “fazer mal uso da rádio em defesa do seu grupo político”. Segundo o leitor e ouvinte, esse diretor serviu como Secretário de Comunicação durante quatro anos ao prefeito do seu grupo político. Esse ex-prefeito se diz dono da emissora e usa seu assessor para agredir os adversários, “numa linguagem rasteira, distanciando a população da emissora”.

Essa pequena cidade do sertão do Quixeramobim sofre o mesmo problema que se verifica em muitas outras cidadezinhas onde um grupo político opera a rádio comunitária local, que é usada para fins políticos partidários. Segundo o denunciante, o ex-prefeito de Choró tem como padrinho o ex-Ministro das Comunicações Eunício Oliveira. É voz corrente na cidade que foi esse Ministro que pessoalmente articulou a liberação provisória da rádio comunitária.

O leitor se refere a matéria publicada neste blog sobre a Rádio Comunitária Araçá, de Mari/PB, que segundo denúncias, perde credibilidade por assumir posições político-partidárias, tornando-se palanque político. Nosso comentário continua o mesmo: só com a mobilização da população para assumir e tomar sua emissora que se afasta dos verdadeiros objetivos de uma radcom pode resolver esse problema, porque o Ministério das Comunicações não intervém nesses casos, como já ficou provado. Rádio comunitária que tem “dono” precisa tomar um banho de democracia. Mesmo que para isso seja necessário pedir a intervenção do Ministério Público.

terça-feira, 11 de maio de 2010

ANATEL muda controle da programação das rádios comunitárias


COMPANHEIRAS E COMPANHEIROS:

A ANATEL está mudando a forma de procedimento em relação ao controle da programação solicitando a gravação por ofício e não mais indo à localidade para fazer a gravação, Todos sabem que o controle da programação não é de competência da ANATEL e sim do Ministério das Comunicações, entretanto eles firmaram um convênio para que os fiscais da ANATEL realizem o levantamento de "campo".

É obrigação da emissora gravar toda a programação.

Antes de enviar a gravação do programa, sugiro que façam contato com os Coordenadores Estaduais da ABRAÇO ou diretamente com o Coordenador Geral Nacional José Sóter - 61 964-8439 - josesoter@yahoo.com.br para esclarecer quaisquer dúvida.

Sugestão da Coordenação da ABRAÇO Centro Oeste, já vão se preparando para receber a notificação em anexo.


OFICIO ANATEL NOTIFICAÇÃO.jpg

Visite ABRAÇO CENTRO-OESTE em: http://abracocentrooeste.ning.com/?xg_source=msg_mes_network

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Rádios livres e comunitárias cobrem a Cúpula dos Povos


Durante a Cúpula dos Povos Enlaçando Alternativas, que começa no próximo dia 14 em Madri, Espanha, rádios livres e comunitárias da América Latina e Europa se reunirão para mais um Fórum de Rádios.

A iniciativa já teve experiências no Enlazando Alternativas 3, em Lima, no Peru e no VII Fórum Social Mundial em Belém, estado do Pará. A atividade é de convergência tecnológica e integra não só rádios como redes e demais atores ligados às novas tecnologias. Dessa forma, se cria um espaço de troca da produção livre em formato radiofônico.

Durante o evento, o Fórum de Rádios será transmitido ao vivo por FM na cidade de Madri. A Agênia Pulsar Brasil participa dessa atividade com a programação em português. É possível acessar também pela internet e a retransmissão é livre. A programação feita em várias línguas será publicada no endereço: www.foroderadios.org.

O Fórum vai ocorrer durante todos os dias da Cúpula dos Povos, de 14 a 18 de maio. A participação é aberta par que os espaço se converta na voz dos povos e movimentos socais da Europa e América Latina.

Agência Pulsar

Rádio Comunitária do Rio Grande do Norte quer se filiar à ABRAÇO da Paraíba


Hugo Tavares é radialista, cantor, compositor e poeta

O professor Hugo Tavares, da Rádio Comunitária Santa Rita, de Santa Cruz, no Rio Grande do Norte, envia a seguinte mensagem:

Gostaria de saber de vocês se existe alguém ou alguma forma de organização da ABRAÇO, aqui no Rio Grande do Norte. Caso exista e seja do conhecimento de vocês, agradeço de coração a informação. Fico no aguardo. Pergunto: como é que faço para nos associar à Abraço da Paraíba? Falo em nome da Associação Rádio comunitária Santa Rita(Santa Cruz-RN) Nosso contacto:
comunitáriasantarita@yahoo.com.br

hugotavaresdutra@yahoo.com.br


Resposta do advogado e militante do movimento de rádios comunitárias de Brasília, Joaquim Carlos:

Caro Hugo:

Realizamos nesse final de semana um encontro das Rádios Comunitárias do Rio Grande do Norte na Oficina de Capacitação para Radialistas Comunitários em Teresina/PI

Lá ficou combinado:

1. A mobilização para estruturar a ABRAÇO/RN, novas filiações;
2. Parceria para gerar recursos para as emissoras filiadas;
3. Convocação para julho do Congresso Estadual da ABRAÇO/RN para escolha dos Delegados para o 7° Congresso Nacional que será em dezembro em Belém/PA;
4. Definição da agenda de reuniões da comissão, que é aberta a qualquer rádio comunitária do Estado.

Sei que já abriram uma rede social www.abracorn.ning.com

Por favor se cadastre na rede que estou alimentando - www.abracocentrooeste.ning.com

ABRAÇO FORTE

JOAQUIM CARLOS

Nota Pública contra ações da Polícia Federal em Rádios Comunitárias

Nos últimos meses temos recebido notícias de uso desproporcional da força por parte de agentes da Policia Federal e de agentes da Anatel no ato do fechamento de algumas Rádios Comunitárias, o último relato vem da cidade de Bauru, quando em 15/04/2010 ocorreu o fechamento da Rádio Comunitária Mais FM, a qual assim como outras rádios vítimas deste tipo de intervenção participam de aviso de habilitação, em que pleiteiam junto ao Ministério das Comunicações autorização para prestar o serviço, conforme exige legislação vigente, porém, aguardam indefinidamente resposta deste órgão quanto à outorga para a prestação do serviço.

Não é demais lembrar que referidas ações da polícia e da Anatel se baseiam no fato das rádios não estarem autorizadas pelo Ministério, porém, referidas ações se esquecem que qualquer intervenção deve ter como base a Constituição Federal a qual veda qualquer tipo de abuso de poder e autoridade, uso desproporcional de força ou qualquer medida que fira a dignidade humana, bem como exige a observância do devido processo legal, ou seja, ninguém será submetido à tortura nem a tratamento desumano ou degradante", "a inviolabilidade da intimidade, da vida privada, da honra, da casa, da correspondência, das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas e da imagem das pessoas", "ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente", "inadmissibilidade, no processo, das provas obtidas por meio ilícitos", "não culpabilidade até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória", "publicidade dos atos processuais", "direito ao silêncio", direito ao contraditório (paridade de armas, a defesa se pronunciar sempre depois da acusação), a garantia da ampla defesa (defesa técnica e autodefesa), o duplo grau de jurisdição, a proibição das provas ilícitas, etc.
fonte: http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=47600

As rádios comunitárias surgem com uma das formas de dar acesso a todos ao Direito Fundamental à Comunicação, visa permitir a difusão de ideias, cultura, tradições e hábitos sociais das comunidades, estimular a integração de grupos, difundir o lazer, a cultura e o convívio social, prestar serviços de utilidade pública, entre outras finalidades que permitem o exercício do direito a expressão e ao pensamento livre, através da participação dos membros da comunidade trazendo questões, discussões e informações que não seriam divulgadas em rádios comerciais.

O serviço de radiodifusão comunitária é destinado a entidades comunitárias constituídas como associação ou fundação que reúnam os moradores e representantes da comunidade, autorizadas pelo Ministério das Comunicações.

Há diversas críticas à legislação vigente com relação aos procedimentos para autorização da prestação deste tipo de serviço de radiodifusão e, na I Conferência Nacional de Comunicação, realizada em dezembro de 2009 em Brasília, foi assinada por representantes do Ministério da Comunicação, da Secretaria Geral da Presidência da República e da Secretaria de Comunicação Social uma Carta de Intenções que apoia, entre outras, as seguintes propostas:

- Criação da Subsecretaria de Radiodifusão Comunitária;

- Agilidade na tramitação dos processos com realização de concurso público para contração de servidores para o setor responsável pelo licenciamento das emissoras comunitárias;

- Realização de mutirão com o intuito de colocar em dia os processos que estão em tramitação no Ministério das Comunicações;

- Possibilidade de adequação as exigências técnicas e legais;

- Revogação da legislação que considera crime a operação de emissoras sem a autorização;

- Aumento do número de canais destinados às emissoras comunitárias, com a alocação de, no mínimo, três canais na faixa de 88 a 108 MHz[1].

NÓS, cidadãos e entidades que lutamos pela democratização da comunicação e seus meios, manifestamos nosso repúdio a qualquer intervenção ou atuação de agentes do poder público que, a pretexto de fazer cumprir a lei, se utilizam de ações ilegais, como violação de domicílio e apreensão de bens sem o devido mandado judicial, bem como fazem uso de força desproporcional à situação, criminalizando pessoas e instituições interessadas em promover a difusão de idéias e a participação comunitária em assuntos e questões de interesse local.

03/05/10

Frente Paulista pelo Direito a Comunicação e Liberdade de Expressão.

Jornalista grava depoimento para documentário sobre mulheres nas rádios comunitárias


A jornalista Rosa Duarte Varjão gravou entrevista para fazer parte do documentário “Feminino Plural”, produzido por uma equipe da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, de João Pessoa/PB, tratando da presença feminina nas mídias e a contribuição dessas intervenções para a democratização das comunicações e o exercício da cidadania por parte das mulheres que ouvem e que produzem esses programas.

As rádios comunitárias irradiam seus sinais para a comunidade, mas nem sempre divulgam informações qualificadas especificamente para o público feminino. Existe ainda a cultura machista a determinar a grade de programação dessas rádios. O documentário enfoca um programa de rádio feito por mulheres.

(Foto: Dalmo Oliveira)

domingo, 9 de maio de 2010

Banda de um homem só, “Samba Sujo” só toca na Zumbi


Gilberto Bastos Jr. é o cara da esquerda, tocando sua guitarra percussiva

Banda formada pelo poeta e único integrante Gilberto Bastos Jr. (voz, guitarra, efeitos e percussão) em meados de 2007. Antes denominado DULOUZ, esse projeto solo resgata alguns trabalhos executados ao longo de 15 anos de estrada. Mantendo a postura de “anti-músico” o poeta produz canções simples e microfônicas numa leitura do que ele intitula de “samba de ruído”. Com o auxílio de um tamborim e uma bateria eletrônica, o Samba Sujo destila sua anti-música poética. Suas letras falam de temas urbanos, suas influências vão de escritores beats como Kerouac, Ginsberg a Vinicius de Moraes. De grupos undergrounds nacionais oitentistas como Felline, Black Future a bandas Post Rock como Mogwai e Hood.

Gilberto Bastos é artista exclusivo da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares. O “anti-músico” só toca sua “anti-música” na rádio que é anti-comercial.

Zumbi repercute CD de Bira Delgado



O professor, cantor e compositor paraibano Bira Delgado acaba de lançar o CD “Na batida da cancela”, com músicas de Maciel Melo,Bebé de Natércio, Bráulio Medeiros, Xico Bizerra, Zé Marcolino e Chico de Pombal, uma mescla de compositores paraibanos de melhor qualidade, que não toca nas rádios comerciais dominadas pelo esquema do jabá.

O CD de Bira Delgado está sendo promovido pela Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, que tem compromisso com nossa música autêntica.

Bira Delgado é diretor artístico no Colégio Pio X, em João Pessoa. O disco “Na batida da cancela” interpreta xote e baião, com direção artística de Bebé de Natércio.

sábado, 8 de maio de 2010

Rádio Zumbi na campanha por mais tolerância religiosa


O jornalista Dalmo Oliveira, da rádio comunitária Zumbi dos Palmares – João Pessoa/PB – é um militante do movimento negro na Paraíba. Ele está na luta para ajudar ao negro a gostar de si, a se valorizar, a exigir respeito por si e pelos seus direitos, a viver em harmonia e solidariedade com as outras etnias e estimular o povo negro a manter viva sua memória histórica, inclusive a religião de raiz africana.

Para isso, ele participa e divulga o movimento “Eu respeito os Orixás”, pela organização e luta do movimento negro e pela tolerância religiosa.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Guarabira/PB reúne radialistas comunitários no Colégio da Luz



A Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária no Estado da Paraíba- ABRAÇO/PB, através de sua Coordenação Regional Pólo de Guarabira, tem a satisfação de convidar os COMPANHEIROS RADIALISTAS da região, para participarem do Encontro Regional de Rádios Comunitárias, conforme dados abaixo. Neste sentido, cada emissora poderá participar com três representantes, e que entre os quais esteja alguém da direção da entidade.

Data: 08 de maio de 2010;

Local: Auditório do Colégio N.S. da Luz – Centro – Guarabira/PB.

Hora de início: 8:30 e término 16:00 horas.

Confirmar participação com: Agnaldo, Fone:9166-6002 ou 8884-5726.

E-mail: silvaradio87@hotmail.com

Obs.: Deslocamento e almoço por conta dos participantes e de suas emissoras. A Organização do Encontro está trabalhando para garantir lanches (cafezinho pela manhã e pela tarde.

Hélio Costa volta ao Senado e ataca rádios comunitárias


Várias emissoras de rádio e televisão comunitárias no Brasil estariam descumprindo a legislação que permitiu sua criação - atuando muito acima da potência permitida ou como emissoras comerciais com fins lucrativos. A denúncia foi feita pelos senadores Hélio Costa (PMDB-MG), Roberto Cavalcanti (PRB-PB), Gerson Camata (PMDB-MG) e Papaléo Paes (PSDB-AP), em reunião da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), nesta quarta-feira (5).

- Os canais comunitários de rádio, autorizados por decreto ministerial, têm limite de potência de 0,25 kw. Alguns, no entanto, compraram transmissores de 1 kw e estão invadindo o espaço alheio, prejudicando outras estações e agindo à margem da lei - disse Hélio Costa, que foi ministro das Comunicações até 2 de abril. Ele informou ainda que há dez mil emissoras de rádio piratas no país. Gerson Camata acrescentou que a freqüência acima do permitido pode levar até mesmo a acidentes aéreos, por interferir nas transmissões de rádio de aviões e aeroportos.

Segundo Hélio Costa, a legislação que cria a televisão digital no Brasil estabelece quatro tipos: o canal público, que substitui a Radiobrás; o canal educativo, o cultural e o de cidadania, que abrange os comunitários. Um canal digital de tevê comunitária, assim como as rádios comunitárias, explicou, deve atender ao interesse geral da sociedade e não pode ter controle de grupo econômico ou político. O descumprimento dessas regras foi apontado por Papaléo Paes em rádios comunitárias existentes em seu estado, as quais atuariam em defesa de grupos políticos ou com propaganda de empresas, o que é ilegal.

Na opinião do senador Roberto Cavalcanti, o revendedor que aceita vender transmissores de potência acima do permitido por lei a uma rádio comunitária deveria ser descredenciado. "Além disso, com o pretexto de apoio cultural, várias empresas estão anunciando seus produtos, como panelas e roupas, em rádios e tevês comunitários, o que os transforma em canais comerciais comuns, com fins lucrativos, o que é absolutamente ilegal", explicou.

Os transmissores de rádio e televisão vendidos aos canais têm que ser registrados e homologados pelo governo, mas, segundo Hélio Costa, é difícil a fiscalização, tendo em vista o grande número de rádios piratas em funcionamento no país.

- É preciso que o concessionário cumpra a lei e não espere que a fiscalização vá lá reprimi-lo. O cidadão comum segue a lei porque é a norma social, não porque teme que o delegado vá lá prendê-lo - disse.

Cezar Motta / Agência Senado

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

fonte: http://www.senado.gov.br/agencia/verNoticia.aspx?codNoticia=101656&...

Anatel libera rádio comunitária para Itaporanga/PB




ATO - ANATEL Nº. 2889

Data: D.O.U.: Nº. Processo:
04/05/2010 05/05/2010 5350000150609
Denominação/Razão Social:
FUNDACAO CULTURAL PROFESSORA ANALIA RODRIGUES
Localidade: Serviço: Finalidade:
ITAPORANGA - PB RADCOM COMUNITÁRIA
Observação:
O SUPERINTENDENTE DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA AUTORIZA O USO DE RADIOFREQÜÊNCIA.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Democracia no Ar


As lutas no judiciário e a mobilização das populações em defesa dos projetos de rádios populares formam a base do conteúdo do livro "Democracia no Ar", que traz ainda depoimentos de políticos, comunicadores, jornalistas e membros do judiciário em torno desse debate. "Meu livro conta a história de companheiros e companheiras que defenderam e defendem essa forma de comunicação social, mas aponta as falsas comunitárias que trabalham com conteúdos e formatos caricaturados das rádios convencionais, a serviço de picaretas", afirmou o autor.

Justiça do MS proíbe rádio de citar prefeito de Aquidauana


A Justiça da comarca da cidade de Aquidauana (MS) proibiu a rádio comunitária FM Pantanal de fazer menção pejorativa ao prefeito Fauzi Suleiman (PMDB).

O prefeito ajuizou ação após a rádio - administrada por correligionários do ex-prefeito Felipe Orro (PDT) - ter divulgado notícias supostamente difamatórias e caluniosas contra o político.

Em Antecipação de Tutela Inibitória, o juiz José de Andrade Neto determinou multa de R$ 10 mil para cada menção injuriosa contra Suleiman de forma direta ou indireta, informa o site Aquidauana News.

Ao Portal IMPRENSA, a FM Pantanal informou que ainda não foi comunicada oficialmente da decisão e, que ao ser notificada, irá informar quais medidas serão tomadas pela direção da emissora.

Fauzi Suleiman declarou à reportagem que divergências políticas fazem parte do jogo democrático, mas que atos difamatórios devem ser punidos.

Questionado sobre suposta censura à FM Pantanal, o prefeito argumentou que apenas requisitou que a emissora "se restrinja a fazer comentários objetivos". "De maneira nenhuma. Pode criticar, só não pode desrespeitar e fugir dos critérios de informação jornalística", avaliou.
fonte: http://t-thomaz.blogspot.com

Napoleão de Recife comunica Congresso da Abraço/PB



Napoleão (com o microfone) é militante de radcom em Pernambuco

Vamos aproveitar e comunicar para todos que estão fazendo a oficina de rádio em Areia para informar sobre o congresso estadual ai na Paraíba nas datas 03 e 04 de julho (Sábado e domingo).

Precisamos organizar todas as rádios comunitárias para que assim possamos estar preparados para as novas políticas publicas de comunicação, que todos nós que formamos a ABRAÇO já estamos reivindicando.

O companheiro Moreira estava na Bahia no III Encontro dos Jornalistas do Nordeste realizado pela Fundação Banco do Brasil e lá nos tiramos esta data para o congresso na Paraíba.

Peço então a todos os companheiros da Paraíba para que entrem em contato com o Moreira para que juntos possam organizar o congresso por ai.
Quem tiver Nextel pode me passar o rádio, para saber como anda por ai.

Napoleão de Assunção
napopt@hotmail.com

segunda-feira, 3 de maio de 2010

CARTA ABERTA SOBRE O RÁDIO DIGITAL

No último dia 30 de março o Ministério das Comunicações publicou a Portaria n. 290, instituindo o Sistema Brasileiro de Rádio Digital (SBRD), estabelecendo os objetivos do mesmo. Embora o texto da Portaria não avance muito além do que já constava no texto do Chamamento Público do ano passado, entendemos que estamos entrando em mais uma etapa do processo de definição do padrão de rádio digital a ser adotado no Brasil. Por se tratar de um tema de grande interesse público, as entidades abaixo assinadas lançam esta carta aberta como um alerta às autoridades e um chamado à sociedade brasileira.

Entendemos que a digitalização da transmissão é fator essencial para a sustentabilidade do rádio no ambiente de convergência midiática. A mudança representará uma melhoria da qualidade de som, especialmente em relação ao AM, novos usos e funcionalidades para o aparelho receptor, incluindo a oferta de dados e serviços complementares de valor agregado, além de dispositivos tecnológicos que permitam abertura para a convergência com outros meios dentro da mesma linguagem digital. Embora o rádio já esteja presente na Internet e celular, acreditamos que a digitalização da transmissão poderá integrá-lo à convergência midiática. Entretanto, para que isto ocorra de modo consistente, é indispensável que a definição tecnológica seja precedida pela definição dos modelos de serviços e de negócio, uma vez que os atuais impasses do rádio localizam-se no esgotamento dos referidos modelos.

Temos clara a importância social do rádio pela sua presença marcante no cotidiano da maioria da população brasileira. É o meio de informação e entretenimento por excelência, especialmente para os que estão em trânsito nasgrandes cidades e para os que vivem no interior, nas pequenas cidades, na zona rural e, em particular, em macrorregiões como a Amazônia. Integra o sistema de comunicação do país de forma expressiva. São mais de oito mil emissoras em funcionamento entre comerciais, educativas e comunitárias. As comerciais oferecem mais de 300 mil empregos diretos e indiretos, e faturam por ano R$1.673 milhões (pesquisa FGV e IBRE de 2007).

Temos, também, consciência do lento processo de migração para o sistema de transmissão digital registrado em boa parte do mundo. A dificuldade está relacionada a características tecnológicas dos sistemas disponíveis que dificultam sua adaptação ao modelo de radiodifusão, ao marco regulatório e as regras de mercado em cada país. Em alguns países europeus, o sinal digital do sistema DAB (Digital Audio Broadcasting), por exemplo, não tem boa recepção dentro de edifícios, especialmente os situados em ruas com grande densidade de prédios e tráfego intenso. Sabemos que o sistema americano HD Rádio (IBOC) apresenta problemas semelhantes: o sinal é mais baixo em relação a estação de sinal analógico. Além disso, os aparelhos receptores em HD Radio são incompatíveis com DAB e DRM.

Reconhecemos que o Ministério das Comunicação tem promovido testes em busca de um padrão que possa ser adequado ao sistema de radiodifusão brasileiro. Foram testadas apenas duas normas de rádio digital: o HD Radio (também conhecido como IBOC), padrão proprietário dos Estados Unidos, cujo resultado dos testes parecem não terem sido os esperados, e que merecem ainda uma maior divulgação e publicização, e o DRM (Digital Radio Mondiale), de origem europeia, cujos testes estão sendo realizados em escala muito inferior ao IBOC e sequer foram concluídos. Defendemos que esse processo de testes deve se ampliar e aprofundar, e deve ganhar contornos mais transparentes e públicos.

Reconhecemos, também, que a Portaria nº 290/2010 de 31 de março de 2010 do Ministério das Comunicações que institui o Sistema Brasileiro de Rádio Digital – SBRD é positiva, porque sinaliza com valores fundamentais que devem balizar a escolha de soluções tecnológicas, dos quais destacamos: a) proporcionar a utilização eficiente do espectro de radiofrequenciea; b) possibilitar a participação de instituições brasileiras de ensino e pesquisa no ajuste e melhoria do sistema de acordo com a necessidade do País; c) viabilizar soluções para transmissões em baixa potência, com custos reduzidos; d) propiciar a criação de rede de educação à distância; e) incentivar a indústria regional e local na produção de instrumentos e serviços digitais; f) propiciar a transferência de tecnologia para a indústria brasileira de transmissores e receptores, garantida, onde couber, a isenção de royalties.

Embora essas e outras diretrizes sejam essenciais, entendemos que a portaria não encerrou o debate sobre o modelo a ser adotado, nem sequer o definiu e, portanto, indica a necessidade de abertura e tempo para a sociedade apropriar-se mais das questões relativas à digitalização do rádio. É necessário garantir, ao longo dessa próxima etapa, maior transparência e controle público neste processo.

Lutamos recentemente pela realização da I Conferência Nacional de Comunicação, e nela defendemos a abertura urgente de profundo e consistente debate que envolva a sociedade em um amplo processo de consultas e audiências públicas, os setores da radiodifusão (público, privado e comunitário), a indústria de equipamentos, e técnicos do Ministério das Comunicações, de Universidades brasileiras e de centros de pesquisas.

Nesse sentido, as instituições e entidades abaixo assinadas reivindicam do Ministério das Comunicações a constituição de um Grupo de Trabalho (GT) que tenha como objetivo traçar uma estratégia comum sobre a política de implantação do rádio digital no Brasil, bem como possibilitar o monitoramento pelas entidades sobre os próximos passos dos agentes públicos na consolidação dessa política. Num primeiro momento o grupo debateria as diretrizes políticas (diversidade, pluralidade, universalidade e gratuidade) e diretrizes técnicas (royalties, cobertura, uso do espectro, serviços agregados, entre outros) apresentadas na Portaria nº 290/2010 à luz dos resultados dos testes já realizados com HD Radio e DRM.

Alem disso defendemos estudo comparativo de experiências internacionais com outros sistemas, tais como o DAB e sua família (DAB +), DMB, DRM, FMeXtra e o ISDB-TSB. Defendemos, portanto, uma avaliação criteriosa e comparativa desses modelos relacionando-os com os testes de eficiência já realizados.

Defendemos que o SBRD seja transformado em lei própria, a ser aprovada pelo Congresso Nacional. Mas antes disso será necessário o seu aperfeiçoamento a partir da discussões a serem realizadas pelo GT aqui proposto pelas entidades.

Lembramos que uma decisão precoce, sem a devida avaliação do seu impacto em nosso sistema de radiodifusão, poderá acarretar em baixa penetração do serviço, prejuizo para o setor de radiodifusão, reduzido interesse da população, não ampliação de postos de trabalho e ausência de políticas públicas no sentido de maximizar a inclusão digital e os serviços públicos.

Temos consciência que a adoção de qualquer sistema sem debate e reflexão rigorosos, ou de forma automática e sem aprimoramentos tecnológicos poderá trazer sérios problemas e não atender à realidade brasileira. Por isso, não podemos descartar a possibilidade futura do Brasil vir a optar por um SBRD com tecnologia genuinamente nacional, com a garantia do devido incentivo financeiro e estrutural para a sua realização. Sabemos que, independente do modelo a ser adotado, as adaptações poderão se fazer necessárias. E para isso torna-se estratégico saber quais são as nossas demandas para aprimoramento e como podemos envolver todos os setores capazes de contribuir para a melhoria e adaptação do sistema. O referido debate, insistimos, deve ser antecedido pelo debate sobre os modelos de serviços e de negócio, uma vez que sem modelos democráticos e acessíveis a continuidade do rádio brasileiro não está assegurada. Sobre possíveis adaptações, lembramos o que aconteceu com a TV Digital, em que o ISDB japonês sofreu uma evolução, passando a utilizar a codificação MPEG-4 e a interatividade Ginga, desenvolvida no Brasil, pelas universidades PUC-Rio e UFPB.

Como em qualquer transição será necessário compreender que o processo de construção de políticas públicas para o rádio digital precisa estar alicerçado em alguns critérios, tais como: a) garantia da manutenção da gratuidade do acesso ao rádio, por parte do ouvinte; b) a transmissão de áudio com qualidade em qualquer situação de recepção; c) adaptabilidade do padrão ao parque técnico instalado; d) coevolução e coexistência com o padrão analógico; e) aparelhos receptores de baixo custo; f) adoção de uma tecnologia não proprietária e com potencial para interconectividade com outras mídias; g) interatividade real time; h) multiprogramação; i) democratização do uso do espectro, com a ampliação do número de outorgas disponíveis e maior presença de rádios públicas e comunitárias; j) garantia de igualdades de condições para o processo de transição de padrão, incluindo aí as rádios coimunitárias.

São critérios que preservam, de alguma forma, a experiência social, histórica e cultural do meio. Integrado a um modo de vida, o rádio se vincula às identidades culturais do lugar, aos saberes cotidianos, ao partilhamento de patrimônios comuns como a língua, a música, o trabalho, os esportes, as festas, entre outros. É um espaço de reconhecimento do público como pertencente a uma dinâmica cultural local. Portanto, para ter sentido e ser útil, as intervenções das políticas públicas nas estruturas se guiam e se justificam por objetivos relacionados ao conteúdo. Significa por em relevo não somente as relações entre economia e política, mas também a dimensão do consumo. O que implica em considerar a cultura como um componente inerente à formulação de políticas públicas de transição para o rádio digital.

A migração do rádio brasileiro do padrão analógico para o padrão digital e sua integração na convergência tecnológica é uma política pública de interesse do conjunto da sociedade brasileira, interessa a empresários, profissionais da comunicação, ouvintes, gestores públicos, técnicos e cidadãos em geral. Portanto, esta política pública deve ser construída de forma amplamente democrática, ouvindo o conjunto da sociedade e garantindo ferramentas de participação popular e controle público.


Brasília, 23 de abril de 2010

Assinam esta carta aberta as seguintes entidades:

ABRAÇO – Associação Brasileira de Rádiodifusão Comunitária

ANEATE – Associação Nacional das Entidades de Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão

AMARC – Associação Mundial das Rádios Comunitárias

ARPUB – Associação das Rádios Públicas do Brasil

CUT – Central Única dos Trabalhadores

CFP – Conselho Federal de Psicologia

FENAJ – Federação Nacional dos Jornalistas

FITERT – Federação Interestadual dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão

FNDC – Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação

INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação

INTERVOZES – Coletivo Brasil de Comunicação Social



_______________________________________________
Conferencia.comunicacao mailing list

Músicos da Paraíba divulgam trabalhos em “carrinho de CD”


Cansados de não terem suas músicas tocadas nas rádios do seu Estado, os músicos paraibanos montaram um carrinho para vender CD, que chamam de PB-Pop, uma alternativa para a difusão e venda da produção musical feita na Paraíba. “Se o mercado não se abre para os artistas, são esses que devem procurar o mercado”. E o fazem literalmente, conduzindo o carrinho de CD em eventos e onde for possível divulgar os discos.

O carrinho do PB-Pop segue na contramão dos demais carrinhos de som espalhados pelas cidades. Enquanto esses divulgam e vendem CDs e DVDs piratas de bandas comerciais e cantores de sucesso nacional, o PB-Pop oferece ao público discos de artistas genuinamente paraibanos.

Alex Madureira, um dos organizadores do carrinho, passou a levar o PB-Pob a vários eventos culturais em João Pessoa, marcando presença constante na feirinha de Tambaú. O carrinho já conta com mais de 60 títulos de CDs de artistas, entre eles Cabruêra e Clã Brasil.

O carrinho foi convidado para a feira “Rio mostra Paraíba”, no começo deste mês no Rio de Janeiro. Na programação, Jessier Quirino foi o primeiro a se apresentar, no Centro de Referência do Artesanato Brasileiro. Depois, o carrinho do PB-Pop fez a festa, tocando a diversidade musical da Paraíba, num clima de descontração e espontaneidade. Só o Clã Brasil vendeu mais de 50 CDs. A feira foi uma produção do SEBRAE.


Augusto Magalhães (Contraponto)

domingo, 2 de maio de 2010

Rádio Comunitária Alternativa de Sumé/PB também é fã da Zumbi


Caros colegas,

Vendo minha amiga da Rádio de Tavares, Rosa Maria, quero aproveitar este espaço para parabenizá-los pelas informações repassadas a todos os comunicadores comunitários. Informações estas, que têm contribuído bastante para a luta pela democratização da comunicação em nosso país. Continuem trabalhando desta forma. Democracia é também comunicação.

Estaremos completando 10 anos no próximo ano, e queremos todos vocês participando de nossas comemorações.

Um forte abraço e sucesso.

Marivaldo Alcântara - Diretor da Rádio Comunitária ALTERNATIVA FM - Sumé-PB

Dirigente da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares coordena congresso municipal da Abraço em Tavares/PB


A jornalista Fabiana Veloso, da coordenação da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, está em Tavares/PB no dia de hoje, 02 de maio, para organizar o Congresso Municipal da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária no Estado da Paraíba, que deverá escolher delegados para o Congresso Estadual da entidade, a se realizar nos dias 3 e 4 de julho próximo. As cidades onde operam rádios comunitárias filiadas à Abraço deverão realizar seus congressos até julho/2010.

O Congresso vai debater a organização do movimento das rádios comunitárias no Estado. Fabiana Veloso destacou a importância do congresso para mobilizar as rádios comunitárias e buscar mais capacitação e inserção nos movimentos sociais, na perspectiva da luta pela democratização da comunicação.

sábado, 1 de maio de 2010

Zé Roberto é o mais novo parceiro da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares


Em reunião realizada hoje, 1º de maio, a turma da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares (Geisel – João Pessoa/PB), teve o prazer de receber o companheiro Zé Roberto como novo sócio e colaborador da entidade.

Zé Roberto trabalha com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente em João Pessoa, tem nove anos que mora no bairro do Geisel, na Rua Valdemar Naziazeno. Ele acha que o seu bairro tem potencial para os movimentos populares, só falta mobilizar melhor a comunidade. “Com a Rádio Zumbi funcionando, acho que vamos ter mais jovens e agrupamentos sociais se incorporando e ajudando na melhoria de vida de todos”, acredita Zé Roberto.

Ele também participa do movimento negro em sua cidade, e faz parte da rede de educadores populares.

Oficina de rádio será realizada em Areia/PB neste final de semana


A Prefeitura da Cidade de Areia através da Secretaria de Turismo e Eventos promove em parceria com a Universidade Estadual da Paraíba Curso de Comunicação Social o Projeto de Capacitação de Recursos Humanos nas Rádios Comunitárias do Estado da Paraíba e Novas Formas de Protagonismo e Participação Social e Cultural. O projeto acontece no auditório da Emater nestes dias 30 de abril, 01 e 02 de maio.

O Estado da Paraíba conta com a existência de mais cem rádios comunitárias. A programação dessas emissoras ainda está longe de cumprir os reais objetivos e conteúdos culturais dos municípios.

O Curso tem como objetivo capacitar os segmentos que atuam e que ouvem essas emissoras e a sociedade em geral. Várias são as criticas feitas quanto ao nível da programação das emissoras divulgando o que existe de pior na música brasileira. Segundo pesquisas é o Rádio ainda o principal veiculo de informação e de maior alcance e aceitação junto ao público.

“Sou jornalista e nossa preocupação é buscar alternativas para que todos os envolvidos com rádio possam conhecer as funções sociais, educativas e culturais no processo da construção da cidadania”, destaca o Secretário de Turismo e Eventos da Cidade de Areia Ney Vital.

www.marifuxico.blogspot.com

Radialista de Guarabira sofre acidente


O radialista Jota Alves, da Rádio Constelação FM, passou por maus momentos no final desta tarde de sexta-feira (30), quando perdeu o controle do seu veiculo, Fiat Uno que capotou. Segundo o próprio Jota, que passa bem, houve apenas danos matérias e um pequeno arranhão no braço direito.

“Tudo não passou de um susto, graças a Deus”. Disse.

O acidente aconteceu na rodovia PB-073, que liga Guarabira a Mari, sua terra natal. Jota teria ido no inicio da tarde ao município de Marí visitar a família (mãe e irmãos) quando na volta um dos pneus estourou e ele acabou saindo da estrada.

Devido ao acidente ele atrasou a sua chegada a emissora para apresentar o seu programa Rádio Notícia, como fez corriqueiramente, de segunda a sexta às 17h.

Jota Alves iniciou sua carreira na Rádio Comunitária Araçá, de Mari.

Da redação com portalmidia.net