Ouça nossa webradio

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

“Alô comunidade” deste sábado repercute entrevista do diretor da rádio comunitária de Mari (PB)

Fábio Mozart e Orlando Otávio mostram suas músicas no programa deste sábado

O programa “Alô comunidade”, que será transmitido amanhã, sábado (01 de outubro) pela Rádio Tabajara AM, retransmitido por sete rádios comunitárias da Paraíba, ouviu Severino Ramos, diretor da Rádio Comunitária Araçá, de Mari/PB, que responde às acusações de que a emissora é dominada por um grupo político, levantando ainda questões importantes para o movimento de rádios livres e comunitárias.

O programa terá também fala do ex-presidente Lula sobre rádios comunitárias, enquête de rua sobre violência nas periferias e entrevista com Eduardo Ferreira de Oliveira, o primeiro vereador negro da cidade de São Paulo, eleito em 1963. Ele também é o autor do Hino da Negritude, executado durante o programa.

A parte musical do “Alô comunidade” também mostra a música de Orlando Otávio, Fábio Mozart e Jacinto Moreno.

ALÔ COMUNIDADE

14h deste sábado – 01/10/2011

Rádio Tabajara AM – 1.110 MHZ

Ouça também em tempo real: www.radiocomunitariadiversidade.com

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Comunicadores de rádios públicas e comunitárias receberão capacitação


Uma iniciativa do Ministério das Comunicações, em conjunto com entidades públicas de comunicação, entre elas a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), e com a Associação das Rádios Públicas do Brasil (Arpub), permitirá que comunicadores de rádios públicas e comunitárias recebam capacitação profissional.

Os acordos de cooperação foram assinados pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, pela presidenta da EBC, jornalista Tereza Cruvinel, e pelo presidente da Arpub, Mario Sartorello, no Espaço Cultural da EBC, em Brasília. Esta foi a primeira vez que Bernardo visitou as novas instalações da empresa, que administra oito rádios públicas, a TV Brasil e a Agência Brasil.

O ministro destacou que a iniciativa permitirá que a experiência acumulada pelos profissionais dos veículos públicos “bem estruturados e com boas condições de funcionamento” ajude as rádios comunitárias, “que têm carências que todos conhecemos”.

De acordo com o ministro, a presidenta Dilma Rousseff cobrou medidas para reforçar a atenção do governo federal às rádios comunitárias. Segundo ele, o ministério já lançou um plano de outorgas que deverá habilitar 500 novas rádios comunitárias até o fim do ano.

Ainda segundo o ministro, outro projeto prioritário do governo federal é fortalecer a EBC. “Ouvimos [da presidenta Dilma] uma orientação clara para fortalecermos a EBC, melhorando suas condições de funcionamento e aumentando sua abrangência territorial. Isso é um projeto prioritário do governo.”

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Rádio Zumbi formará comissão para escolher indicados ao Prêmio Zumbi de Radiodifusão Comunitária


A Diretoria Executiva da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares está formando a Comissão que vai conferir prêmios a pessoas ou instituições cujos trabalhos ou ações merecem destaque na defesa e promoção da radiodifusão comunitária no Estado da Paraíba. Os escolhidos receberão diplomas de honra ao mérito e outorga de troféu.

De antemão, a Rádio Zumbi escolheu os nomes de Ricardo Coutinho, Luiz Couto e Marcelo Ricardo para receber o prêmio. O Governador Ricardo e o deputado Couto sempre colocaram seus mandatos à disposição do movimento de rádios livres e comunitárias. Quando prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho foi autor de projeto de lei municipalizando concessões de outorgas para as rádios comunitárias, dispositivo contestado na Justiça pelos radiodifusores comerciais. Marcelo Ricardo representa os líderes comunitários que foram ou estão sendo perseguidos, processados e vítimas da truculência do Poder Público, os que enfrentam a repressão na luta pelo direito á comunicação. Ele participa da diretoria executiva da Rádio Comunitária Diversidade, do Jardim Veneza, em João Pessoa.

Militante do movimento pela liberdade de expressão via rádio popular, Marcelo Ricardo atua junto a movimentos sociais em sua comunidade. “Essa homenagem e reconhecimento público aos companheiros e companheiras que conosco vêm se empenhando pelo legítimo direito de comunicação através de rádios comunitárias é uma forma de dar visibilidade à nossa luta, que é um combate essencialmente em defesa dos direitos humanos onde somos a parte mais fragilizada, pois contrariamos fortes interesses políticos e econômicos”, afirmou Fábio Mozart, da Rádio Zumbi.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Deputado do PT denuncia a ministro que rádios comunitárias na Paraíba pertencem a políticos


O deputado federal Luiz Couto (foto) denunciou nesta terça-feira (27) ao ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que muitas rádios comunitárias na Paraíba estão nas mãos de políticos. Segundo Couto, durante a audiência também foi solicitado a celeridade na ánálise dos processos de novas rádios no Estado. “Tive audiência com o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Solicitei celeridade na análise dos processos de Rádios Comunitárias. Existem Rádios Comunitárias na Paraíba que são apenas de Direito, porque de Fato são veículos ligados a políticos, como se particular fossem. Encaminhei ainda denúncias sobre as rádios comunitárias de São Mamede e Pombal, ao tempo em que solicitei abertura de novas rádios nestes municípios”, disse o parlamentar. Ainda na audiência, Couto disse que solicitou a celeridade na autorização das rádios de Cabedelo, Catingueira, Jericó, João Pessoa, Parari e São João do Cariri. “Solicitei também ao ministro abertura de novo Aviso de Habilitação para os municípios de Caldas Brandão, Marcação e Santa Luzia”, destacou. De acordo com Couto, além do ministro, participaram também da audiência um representante da ANATEL e Octávio Penna, Coordenador-Geral de Radiodifusão Comunitária. PolíticaPB

Rádio comunitária de Alcantil (PB) acusada de cometer abusos


O blog “Asa Branca Alcantil” denuncia que a Rádio Comunitária Asa Branca “comete vários crimes contra as leis de radiodifusão comunitária, ao operar com transmissores adulterados, sendo ainda responsável por calúnia e difamação”.

O blog da emissora informa que a Rádio Asa Branca FM pertence à ARCAL (Associação de Radiodifusão Comunitária de Alcantil). O nome "asa branca" se deu em homenagem ao pássaro mais famoso do Nordeste, que ficou conhecido no mundo através da música poética do saudoso Luiz Gonzaga, que narra a vida do nordestino. “Este nome também homenageia o primeiro prefeito de Alcantil, Carlos Marques Castro Junior, que é fã das músicas nordestinas, especialmente a Asa Branca, e que foi quem deu os primeiros passos no projeto de aquisição de concessão desta emissora.” O deputado estadual Dunga Júnior (foto) é um poderoso político que tem força de mando na localidade. A rádio Asa Branca pertence ao seu grupo político.

Tudo faz crer que se trata de mais uma briga paroquial entre dois grupos opostos, sendo que um deles utiliza concessão de canal de rádio comunitária para atacar o outro.

O blog da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares se dá ao direito de publicar essas notícias negativas sobre pretensas rádios comunitárias, porque isso ajuda no debate pela melhoria do serviço e para depurar o movimento de falsas rádios comunitárias que utilizam o canal que é do povo para interesses políticos ou comerciais de um grupo.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

ANATEL fecha rádio Pulga no Rio


O cachorro que tem medo da pulga

A Agência Nacional de Telecomunicações, Anatel, invadiu a Rádio Pulga e roubou seu transmissor. Isso foi semana passada no Rio de Janeiro. Com 20 anos de história como rádio livre, a rádio Pulga é um dos principais movimentos culturais da Universidade Federal do Rio. Antes, os pau-mandados dos tubarões da comunicação tentaram apreender a rádio Interferência e a rádio Muda. Nesse mês de setembro, mais de sessenta rádios livres e comunitárias foram fechadas a mando do coronelismo eletrônico – empresários e políticos que dão sustentação política a dona Dilma com seu sistema ilegal de concessões que amarra as rádios e TVs ao apadrinhamento político e ao tradicional monopólio das corporações de mídia que silencia os povos do Brasil.

A Rádio Pulga vai voltar ao ar para incomodar o cachorro grande. No dia 28 de setembro, às 12 horas, está marcado um panelaço artístico no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ, que depois deve se dirigir até à Anatel do Rio de Janeiro. Às 21h, outro ato no show de jazz que ocorre ao lado do Instituto.

Todo mundo que quer assumir sua condição de pulga pegue sua panela, leve um lenço para fazer de mordaça, faça o seu cartaz, leve seu zine ou performance, ou apenas vá e grite! Tome a palavra! Essa é a convocação da turma da Rádio Pulga, contra a criminalização dos movimentos sociais e a remoção de pessoas e vozes.

Em homenagem a ESMERALDA FERNANDES, líder comunitária que faleceu dia 17/9 por ataque cardíaco devido ao fechamento da rádio Verona FM no Piauí!

Envie uma mensagem ao Reitor da UFRJ manifestando apoio à Rádio Pulga e repudiando a autorização da entrada de agentes da Anatel no campus: Carlos Antônio Levi da Conceição, Av. Pedro Calmon, 550, Edifício da Reitoria, 2º andar, CEP: 21.941-901 Tel.: 2598-9602 / 9603 E-mail: reitoria@reitoria.ufrj.br

Participações já confirmadas às 12h: Anarco-funk, Reciclato, Cirko Akrata. Na retransmissão: rádio Várzea de São Paulo em 107.10 FM.

"As guerrilhas lutam a guerra das pulgas, e seu inimigo militar sofre as mesmas desvantagens que o cachorro: muito a defender e um inimigo muito pequeno, onipresente e ágil a enfrentar. Se a guerra continua por tempo suficiente - essa é a teoria - o cão sucumbe ao cansaço e à anemia, sem nunca ter encontrado qualquer coisa em que cravar suas mandíbulas ou que rasgar com suas garras."

http://pulga.radiolivre.org/

Rádio comunitária é incendiada e polícia investiga crime político

Rádio comunitária é incendiada em Massaranduba,
no Agreste (Foto: Marcos Vasconcelos/TV Paraíba)

A Polícia Civil de Massaranduba, no Agreste paraibano, investiga a suspeita de crime político no incêndio da sede de uma rádio comunitária na madrugada desta segunda-feira (26). O local foi totalmente destruído pelas chamas, ateadas com combustível por um grupo de cinco homens.

Para o diretor da rádio, o ex-prefeito Antônio Mendonça (PSDB), o crime teria sido encomendado pelo atual gestor da cidade, Paulo Oliveira (PHS). O Corpo de Bombeiros trata o incêndio como intencional, já os representantes da Polícia Civil, que assumiu as investigações, não quiseram fazer declarações sobre o caso.

O Corpo de Bombeiros de Campina Grande foi chamado para apagar as chamas por volta da meia-noite do domingo (25). Moradores do mesmo prédio disseram que os cinco homens armados arrombaram o portão, fizeram todos reféns e dispararam vários tiros contra os aparelhos do estúdio da rádio. Em seguida, provocaram o incêndio e fugiram.

As chamas só foram apagadas às 2h. Todos os aparelhos e móveis do estúdio e da recepção ficaram destruídos. Parte do gesso do teto também ficou comprometido.

Na cidade, o clima era de tensão devido à troca de acusações entre o diretor da rádio e o prefeito. Antônio Mendonça disse que o crime teria sido encomendado pelo atual gestor, Paulo Oliveira, devido a denúncias de desvio de dinheiro que a população estaria fazendo contra ele em ligações à rádio.

Paulo declarou que pretende processar o ex-prefeito por calúnia e difamação. Ele se defendeu, dizendo que não seria capaz de induzir aliados políticos a cometer esse tipo de ação. Paulo também comentou que estaria sofrendo perseguição do adversário político.

Karoline Zilah

www.g1.globo.com/paraiba/noticia

RÁDIO COMUNITÁRIA DE MOGEIRO/PB INOVA NA PROGRAMAÇÃO E GARANTE SUCESSO NA AUDIÊNCIA


A rádio Mogeiro FM é o que podemos chamar de rádio padrão, apesar de ser uma emissora comunitária.


No ar há 3 anos, a emissora tem orgulhado a população mogeirense com um programação invejável, abrangindo todas os estilos, principalmente a musica regional.


A radio, que tem revelado talentos no município, tem se tornado uma verdadeira escola para quem sonha entrar nesta área tão competitiva. Mas parte desse sucesso, foi conquistado a partir da chegada do radialista Marcos Adriano, um profissional competente, que carrega na bagagem, passagens importantes pelo radio paraibano, como Sistema Correio de Comunicação, das cidades de Mamanguape e Itabaiana, e Rádio Rural de Guarabira, esta últma mais recentemente.


Na Rádio Rural, Marcos Adriano trabalhou ao lado nada mais nada menos, que o competente Adelson Sousa, um dos melhores jornalistas do estado. Quem passa hoje por Mogeiro, sente se orgulhoso ao ver uma emissora de abrangência pequena, mas tão organizada, aliás, a mais organizada em termos de estrutura ambiente, não desmerecendo as demais aqui da
região.


São ao todo 8 radialistas que levam ao ar uma grande programação, com musicas de qualidade, sempre apoiando a nossa musica regional. O diretor da rádio Marcos Adriano, tem visão jornalística, e para isso está levando para a programação local dois novos programas
jornalísticos além de um profissional convidado especialmente para apresentar noticias de hora em hora, o que é novidade aqui na região.


A radio Mogeiro FM, se consagra então como a única na região a ter um noticiário de hora em hora, com as noticias da cidade e do estado.

Para conhecer melhor a rádio e ouvir a sua programação aí vai o link

do site da radio: www.mogeirofm.com

www.mogeiroemfoco.blogspot.com

domingo, 25 de setembro de 2011

Ministro Paulo Bernardo vai debater abusos contra rádios comunitárias na Paraíba e Piauí


O ministro Paulo Bernardo (foto), das Comunicações, recebeu denúncias de abuso de poder e criminalização do movimento de rádios comunitárias, no Piauí e na Paraíba, e respondeu prontamente aos deputados Assis Carvalho (PT/PI) e Luís Couto (PT/PB), marcando audiência para a próxima terça-feira, 27, para formalização das denúncias e busca de soluções para os impasses.


A conversa com o ministro aconteceu durante reunião com a bancada do PT na Câmara e teve o reforço do deputado Jesus Rodrigues. Deputados estaduais e Anatel devem participar da audiência na próxima semana. Assis Carvalho traçou um histórico dos abusos cometidos pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e encaminhou ao ministro um documento onde, segundo o movimento de comunicadores populares, cerca de 200 emissoras foram fechadas e o movimento já conta com mais de 400 pessoas processadas pela Anatel.


Foram apresentadas denúncias de abuso na fiscalização das rádios comunitárias realizada pela Agência e relatou ao ministro os recentes episódios ocorridos com as Rádios Utopia e Verona, de Teresina, cujos pedidos de outorga foram negados, mas estavam na fase de recurso e aguardando decisão final, quando tiveram seus equipamentos apreendidos pela Anatel. Assis Carvalho avalia que a Anatel age com truculência na fiscalização das rádios comunitárias, fato que, segundo denúncias do movimento, contribuiu para duas mortes em Teresina.


O deputado solicitou a devolução imediata dos equipamentos apreendidos; abertura de procedimento para apurar os excessos denunciados e para esclarecer à população sobre o destino dos equipamentos apreendidos desde o início do movimento (nos anos 90) até os dias de hoje; e afastamento do gerente Carlos Bezerra do cargo que ocupa até a conclusão do processo.
Assis Carvalho também protestou contra a excessiva burocracia para homologação das emissoras comunitárias exigida pelo Ministério das Comunicações. E pediu ao ministro a desburocratização dos processos que dificultam o acesso às outorgas das rádios comunitárias.


O deputado petista fez o pronunciamento na Câmara e solicitou ao Parlamento apoio para modificações na legislação visando viabilizar os processos de outorga, evitando assim a criminalização do movimento. "O ministro pode contar conosco porque esta é uma bandeira histórica nossa e da bancada do PT. No Parlamento, queremos ser parceiros para fazer avançar a democratização dos meios de comunicação", concluiu o parlamentar petista.


Fonte: www.acessepiaui.com.br

sábado, 24 de setembro de 2011

Rádio Diversidade transmite programa “Alô comunidade” em tempo real

Fábio Mozart entrevista o líder comunitário Rodolfo Crea

A Rádio Comunitária Diversidade do Jardim Veneza, em João Pessoa/PB, inaugurou seu sítio na internet (www.radiocomunitariadiversidade.com) onde transmitirá em tempo real o programa “Alô comunidade”, da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares em parceria com a Rádio Tabajara da Paraíba AM. O programa é ainda transmitido por sete emissoras comunitárias espalhadas pelo Estado, além da própria Rádio Tabajara AM, 1.110 MHZ, com edições semanais aos sábados a partir das 14 horas.

Participam do progama deste sábado, 24 de setembro, o ator Normando Reis e o líder comunitário Rodolfo, do Centro Cultural Alquimista, da comunidade Mussumago em João Pessoa. Durante o programa, são executadas várias músicas de artistas da Paraíba, de forma contextualizada. No programa deste sábado, serão realçados os trabalhos do forrozeiro itabaianense Aracílio Araújo e do compositor Gustavo Magno, um nome que se consolida na música popular brasileira. Misturando canções, reggae, rock e muito pop com leves citações nordestinas, Gustavo Magno vem sendo considerado em alguns sites especializados em música, como a mais nova expressão da World Music Brasileira.

A edição deste sábado tem locução de Fábio Mozart e Adriana Felizardo, com sonoplastia de Marcelo Ricardo, produção de Dalmo Oliveira e Marcos Veloso. Pela internet, o programa “Alô comunidade” fica lincado no blog: www.radiozumbijp.blogspot.com

A produção comunica que o telefone para contato é 8702.0629. “Esperamos a sugestão de pauta, a mensagem e comentários dos nossos ouvintes”, disse Dalmo Oliveira, acrescentando que o programa se propõe a ser um canal para divulgar o dia-a-dia das associações de bairro e principalmente das rádios comunitárias no Estado, com notícias de interesse das comunidades que não saem na mídia convencional. “Trabalhamos com pessoas que vivem e conhecem a dinâmica comunitária, abrindo espaço para os movimentos sociais, dando enfoque aos assuntos que não são abordados pelas rádios comuns”.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

AUDIÊNCIA PÚBLICA

CCT vai discutir criação de TVs comunitárias e regulação de rádios comunitárias


Agência Senado

A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) vai realizar audiência pública, em data a ser definida, para discutir a criação do serviço de televisão comunitária, bem como os limites de alcance da radiodifusão comunitária. Requerimento com essa finalidade foi aprovado pela comissão nesta quarta-feira (21).

A iniciativa do debate é dos senadores Walter Pinheiro (PT-BA) e Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), com finalidade de instruir projetos de lei do ex-senador Renato Casagrande e do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) que tratam desses temas.

A proposta de Casagrande (PLS 483/08) altera a lei que instituiu o Serviço de Radiodifusão Comunitária (Lei 9.612/98) para prever também o serviço de TV comunitária. Pela proposta, o poder concedente designará, em âmbito nacional, pelo menos dois canais de operação de serviço de radiodifusão de sons e imagens, sendo um em VHF e outro em UHF. Esses canais serão utilizados por fundações e associações comunitárias sem fins lucrativos.

Já o projeto de Demóstenes (PLS 53/09), que também modifica a Lei de Radiodifusão Comunitária, prevê que a potência e altura máximas de serviços de radiodifusão prestados por rádios comunitárias sejam definidas por regulamento, de acordo com as características de cada comunidade atendida. A proposta estava na pauta da reunião da CCT desta quarta, mas foi retirado para permitir o debate.

Para discutir os assuntos, a comissão vai convidar representantes do Ministério das Comunicações, da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e das associações dos canais e rádios comunitárias do país.

Na reunião desta quarta-feira, a CCT aprovou 18 Projetos de Decreto Legislativo que concedem a exploração de serviço de radiodifusão de sons e imagens em várias cidades brasileiras.

Código da Ciência
A CCT também vai realizar audiência pública para debater a proposta de criação do Novo Código da Ciência, conforme requerimento do senador Rodrigo Rollemberg aprovado pelo colegiado.

Encaminhada ao presidente do Senado, José Sarney, a proposta de novo código foi elaborada conjuntamente pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC); Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti); Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap); e Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

Representantes dessas entidades devem debater o novo código com os senadores em data ainda a ser definida.

Religião
Já a audiência pública que vai discutir a decisão do Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) de suspender a veiculação de programas religiosos nos veículos públicos da empresa foi marcada para a próxima quinta-feira (29). O assunto será debatido com a diretora-presidente da EBC, Tereza Cruvinel, e a presidente do Conselho Curador da EBC, Ima Célia Guimarães Vieira.

Ao propor a discussão, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) informou que a Resolução 02/2011 proibiu a veiculação de programas religiosos nas seguintes rádios: Rádio Nacional AM Brasília; Rádio Nacional FM Brasília; Rádio Nacional AM Rio de Janeiro; Rádio MEC AM Rio de Janeiro; Radio MEC AM Brasília; Rádio MEC FM Rio de Janeiro; Rádio Nacional do Alto Solimões; Rádio Nacional da Amazônia; e a Radioagência Nacional.

Além das rádios, a programação religiosa também foi vedada na TV Brasil, na NBR e na TV Brasil - Canal Integración, parceria com emissoras sul-americanas.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Rádio Comunitária Mundo em Floresta do Navio


Por Ronaldo Eli Júnior

“Se eu fosse um peixe

ao contrário do rio

nadava contra as águas

e nesse desafio

eu ia lá do mar

pro Riacho do Navio…”

(Luiz Gonzaga)

Estive em Floresta (ou Floresta do Navio, como se dizia antigamente), no interior de Pernambuco, conversando com a turma do Ponto de Cultura Sertão Itaparica Mundo sobre a criação de mais uma rádio. A cidade, que fica às margens do Rio Pajeú e próxima ao Riacho do Navio, teve sua única emissora de rádio comprada pelos evangélicos, que também querem dominar o mundo. Preocupados com a difusão da cultura regional, que é foco de sua atuação, o Ponto de Cultura resolveu investir na criação de uma rádio comunitária, e me chamou para ajudar.

Essa viagem serviu para conversarmos sobre as opções que existem para montagem da rádio, em termos de equipamentos, espaço, atuação e legalização. No fim, ficou definida a montagem de uma rádio que buscará a concessão de rádiodifusão comunitária, com potência de 25 watts, que será instalada em um banheiro abandonado no quintal do Ponto, e que já está sendo reformado.

A rádio comunitária Mundo, como deverá ser chamada, se juntará ao cineclube e ao festival promovido anualmente pelo Ponto. Os gestores de lá propoem que o veículo seja essencialmente musical, promovendo a cultura regional. A cidade fica próxima a picos importantes como Serra Talhada, Arcoverde, Cabrobó e outros centros importantes na história (viva o cangaço!), cultura e economia sertaneja. Para formação da rádio, será realizada uma oficina, focada especialmente na realização de programas ao vivo, para formar um quadro de programadores que a mantenha.

www.culturadigital.br

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Mais uma companheira de rádio comunitária morre vítima da repressão no Piauí

Esmeralda Fernandes e Dalva Muniz


Acabo de ser comunicado pela equipe da FM Verona, uma das mais antigas e sérias rádios comunitárias de Teresina, capital do Piauí, do falecimento da líder comunitária e comunicadora popular Esmeralda Fernandes.

A comunicadora faleceu vítima de complicações cardíacas ao tomar conhecimento do truculento fechamento da FM comunitária Verona, no bairro Parque Piauí, zona Sul de Teresina.

Segundo o jornalista e militante do setor de rádios comunitárias do Piauí Humberto Coelho, Esmeralda era sócia-fundadora da FM Verona e apresentava dois programas na emissora: Fala Comunidade, programa de notícias e informações das comunidades da zona sul de Teresina e o programa Cantinho do Sócio no qual homenageava os colaboradores da emissora e motivava à colaboração para a sustentação da radio.
Desde a fundação da Rádio Verona, em 1997, que Esmeralda era incansável colaboradora e cuidava da rádio como quem cuida de uma filha. O coração de Esmeralda não agüentou saber do fechamento da FM Verona pela Anatel.

Esmeralda Fernandes é a segunda comunicadora comunitária morta no Piauí após truculentas fiscalizações da Anatel. A outra vítima foi Maria da Conceição Oliveira Ferreira (da Utopia FM, no bairro Lourival Parente, também na zona Sul de Teresina). Ela também não agüentou ver o seu projeto ser morto pela Anatel em 2005 e também morreu vítima de ataque cardíaco.
O movimento de rádios comunitárias do Piauí está de luto.

Abraços!
Orlando Berti

RESPOSTA


MARI: Severino Ramo envia nota questionando afirmações feitas por esposa do Defensor Público


A redação do Blog Mari Fuxico, recebeu nota enviada pelo Diretor-Presidente da Rádio Comunitária Araçá FM, Severino Ramo, onde o mesmo se pronuncia à respeito das afirmações da senhora Juciélia Mamede, a qual é esposa e auxiliar do Defensor Público do município, em nota publicada na manhã de hoje (Clique para ler).

Abaixo, segue a nota do senhor Severino Ramo:


"Prezados senhores e senhoras desse conceituado BLOG, diante de mais uma acusação contra a Associação Rádio Comunitária Araçá FM, desta vez feita pela a auxiliar do Defensor público da nossa cidade, comunico que não irei rebater nenhuma das acusações feitas, até porque se trata de um "agente da Justiça" do nosso município. No entanto, solicito, gentil e humildemente, que a denunciante apresente as provas das denúncias feitas, deixando transparente para a sociedade mariense, paraibana e brasileira a verdadeira face da emissora comunitária, que ora ela acusa; que ela torne pública as ações e práticas da "não transparência" cometidas pelos dirigentes da Araçá FM, se são nos aspectos financeiros ou em quê? Onde há "falta de publicidade" e em quê? Qual o "pessoal" a que ela de se refere? O que está sendo feito no "escondidinho e do não acesso"? Onde estão sendo "feridos os princípios constitucionais”? Como ela é quase uma Operadora do Direito, deve saber que a prova cabe a quem acusa!

Sem me imiscuir nos possíveis motivos que a levaram a fazer tais denúncias e tão pouco querer saber as quais interesses ela serve! Faço-lhes, também, de forma humilde, o podido para que ela se disponha a debater comigo e com a sociedade mariense, através do espaço apropriado para este fim, que é o programa jornalístico da emissora - o Programa Araçá em Debate, levado ao ar aos sábados pela manhã, no horário compreendido entre às 09:30 às 12:30hs e ancorado pela minha pessoa. Garante-lhe, categoricamente, que manterei as linhas telefônicas abertas à interação da comunidade em geral, prática comum ao cotidiano da Araçá FM.

Mesmo sabendo da importância do debate no mencionado programa; sugiro, ainda, que se a querelante realmente tem o desejo de colaborar com a efetiva melhora e adequação da programação/prática da Rádio Comunitária do nosso município, que ela solicite uma reunião com o corpo de associados para discutir as postas por ela; e ainda vou mais longe: que ela solicite aos ilustres Vereadores e Vereadoras uma Sessão Especial/pública para tratar das denúncias, por ela, feitas e dos procedimentos que deverão ser adotados.

Agora, se nenhuma das possibilidades e sugestões que eu apresento não for adotadas, como forma de garantir a verdade absoluta dos fatos denunciados, dar para acreditar que tudo não passa de futricas eleitoreiras e de inverdades covardes, o que não seria de bom alvitre para quem busca a JUSTIÇA como norte da sua vida.

"E a verdade nos Libertará!"


Atenciosamente,

Severino Ramo do Nascimento
Diretor Presidente
"

www.marifuxico.blogspot.com

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Acadêmica de direito critica postura de rádio comunitária em Mari/PB


A Rádio Comunitária deve divulgar a cultura, o convívio social e eventos locais; noticiar os acontecimentos comunitários e de utilidade pública; promover atividades educacionais e outras para a melhoria das condições de vida da população.

Seu ideário prevê ainda a abertura de oportunidade para divulgação de idéias, manifestações, exercícios culturais, tradições e hábitos sociais em seu raio de abrangente atuação.

Uma Rádio Comunitária não pode ter fins lucrativos nem vínculos de qualquer tipo, como partidos políticos e mesmo instituições religiosas.

A rádio comunitária até pode estar aberta para o proselitismo religioso, mas desde que o microfone esteja aberto, igualmente, para outras (e várias) manifestações.

A rádio comunitária é importante porque traz serviços de utilidade pública, informação mais deve moldar-se pela isenção – caráter imparcial e transparente – em face da comunidade.

O que se observa na Rádio Araçá FM contradiz o enunciado acima, e, ao invés de abertura se observa um fechamento em torno de um grupo que habilmente se mantém (e sutilmente se reveza para não dar à vista) à testa (poder) daquela Rádio Comunitária há duas décadas, servindo única e exclusivamente a um partido político – o PT - e seus aliados de ocasião (afins), em detrimento de outras manifestações políticas e pensamentos divergentes.

Transparência

Tudo ali – na Araçá FM - tem a marca da não-transparência, da não-publicidade, do pessoal, do escondido, do não acesso, ferindo princípios constitucionais de transparência preconizados no art. 37 da Constituição Federal. Pondo em desequilíbrio a “balança de princípios democráticos que deve reger uma Rádio Comunitária”

Art. 37. A administração pública direta e indireta

de qualquer dos Poderes da União,dos Estados,

do Distrito Federal e dos Municípios...

obedecerá aos princípios de legalidade,

impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (...)

Daí, o que se observa, é que a Rádio Araçá FM não vem cumprido com seus objetivos democráticos, e se não os cumpre, envereda pelos rumos da ilegalidade, afrontando princípios constitucionais e infraconstitucionais, argamassa do nosso estado de direito

Caráter Democrático

Além da programação voltada aos interesses da comunidade, uma Rádio Comunitária deve, em respeito à pátria legislação, abrir as portas da programação, unir a comunidade, dar acesso e voz aos ouvintes e abrir um leque de espaço democrático para os vários grupos e suas pluralidades de opiniões. Desde que haja espaço livre, qualquer ente comunitário, pode ter um programa, tomar posse do microfone e participar das decisões em um ambiente aberto e democrático.

Uma emissora comunitária tem como característica principal o fato de operar em via de duas mãos: ela não apenas fala como ouve, principalmente, assegurando, assim, à comunidade o direito de se fazer ouvir, em seus reclamos e em suas manifestações culturais e artísticas e de natureza local.

Uma Rádio comunitária há de ser um meio de comunicação da comunidade, para dar voz aqueles que não têm espaço outro de comunicação.

Afinal, para ser Comunitária a Rádio tem que ser do povo e para o povo, estar aberta e lidar com todos que quiserem nela se expressar, independente de credo, divergência, diversidade, raça, religião, orientação sexual, opinião, ideologia... o contraditório é um principio democrático, afinal seus ouvintes, são todos filhos de Deus e parte integrante de uma comunidade

Foto: Dr. Fernando Enéas e sua esposa Juciélia Mamede

JUCIÉLIA MAMEDE

Acadêmica de Direito

e nova cidadã mariense.

www.professorjosa.com.br


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

MiniCom atualiza lista de cidades interessadas em receber rádios comunitárias

Brasília - O Ministério das Comunicações fez uma nova atualização da lista de municípios que possuem Cadastro de Demonstração de Interesse (CDI) em aberto para a prestação do serviço de radiodifusão comunitária. Os cadastros foram preenchidos entre 1999 e 2011 por entidades dessas localidades que manifestaram interesse em receber autorização para operar uma emissora de rádio comunitária. Ao todo, a relação inclui 560 municípios, distribuídos por todas as regiões do Brasil.

Nesse mapeamento, o ministério excluiu os municípios que já foram contemplados com avisos de habilitação depois que o cadastro foi registrado. Na atualização da lista, a Coordenação-Geral de Radiodifusão Comunitária considerou dois critérios: o registro de CDI em determinado ano e a inexistência de aviso de habilitação para a prestação do serviço de radiodifusão comunitária em ano posterior.

O coordenador-geral de Radiodifusão Comunitária do Ministério das Comunicações, Octavio Pieranti, ressalta que esses 560 municípios já possuem pelo menos uma emissora outorgada ou com processo de outorga em tramitação no MiniCom. Os cadastros são, portanto, pedidos para autorização de novas rádios comunitárias.

As cidades que integram a lista deverão ser contempladas nos próximos Planos Nacionais de Outorga de Radiodifusão Comunitária, observada a viabilidade técnica de nova outorga para a localidade e mantendo-se a preferência já constante do PNO 2011 para as localidades em que ainda não existem emissoras autorizadas a executar o serviço de radiodifusão comunitária. O registro de um CDI não dá à entidade qualquer direito à prestação do serviço de radiodifusão comunitária, nem preferência no processo de outorga.

A listagem com as cidades que têm cadastro de demonstração de interesse em aberto será atualizada regularmente e ficará disponível no site do MiniCom.

domingo, 18 de setembro de 2011

Cultura quilombola na Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares

Seu Zuza do Pífano na Caiana dos Crioulos

Caiana dos Crioulos é uma comunidade quilombola em Alagoa Grande, Paraíba. Com mais de 90% de seus habitantes com ancestralidade africana, o quilombo foi reconhecido, em maio de 2005, como um dos 13 legítimos quilombos brasileiros pela Fundação Cultural Palmares

Seus instrumentos, músicas, danças e costumes ainda guardam um pouco de sua cultura e história. O coco-de-roda ainda é uma importante manifestação cultural do lugar.

As cirandeiras de Caiana dos Crioulos estão na edição desta semana do programa “Alô Comunidade”, transmitido aos sábados pela Rádio Tabajara da Paraíba AM, em parceria com a Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares.

Dalmo Oliveira e Marcos Veloso apresentam esta edição do “Alô comunidade”

O programa está online no blog da Rádio Zumbi:

www.radiozumbijp.blogspot.com

Ostracismo para quem apóia rádio comunitária


O apoio do cantor e compositor Lobão a causa das emissoras comunitárias esteve sempre ligado ao seu modo anarquista de ver o mundo, sem barreiras e sem censuras.

Vários outros artistas demonstraram sua simpatia no passado ainda que de maneira informal como Maurício Pereira (ex-Mulheres Negras), Kid Vinil e o conjunto Língua de Trapo. Coincidentemente, todos estão de fora do "esquemão" das grandes rádios.

sábado, 17 de setembro de 2011

EM JATAÍ/GO


Postura da Polícia Federal é elogiada por pretensa rádio comunitária

Jataí é um município de Goiás, onde operava uma rádio comunitária especializada em tocar MPB. No blog da rádio, o responsável narra a operação da Polícia Federal no fechamento da emissora, elogiando os métodos do delegado.

“A 103,5, mais conhecida como JATAI FM, é um sonho de 3 amigos jataienses que veio se realizar no ano de 2005. Sabíamos que mais cedo ou mais tarde teríamos a presença da PF e da ANATEL em nossa porta, mas o nosso sonho e o prazer eram ainda maiores: era levar a verdadeira música brasileira aos ouvidos de pessoas que, praticamente, estão em contato somente com a música sertaneja. Agora, pense você, sair de um sertanejo para um CARTOLA, por exemplo, é uma reviravolta totalmente radical. Mas estávamos vendo o resultado mais rápido que imaginávamos: a aceitação dos nossos ouvintes.

A 103,5 veio para mostrar o que seria a verdadeira rádio comunitária, não essas “radiozinhas” que estão por ai, de pura fachada, pura mentira. Políticos usando concessão de rádio comunitária para transforma-las em uma rádio comercial; isso que revolta o povo brasileiro. Quantas pessoas estão lutando no Brasil para montar uma rádio e servir à comunidade, ficam anos e anos tentando conseguir uma concessão, até ser vencidos pelo cansaço da humilhação e da falta de vergonha dos políticos. Em nossa cidade mesmo temos como exemplo a rádio 104,9 a única rádio comunitária da cidade, que na verdade de comunitária não tem nada. Já denunciamos essa rádio e os incompetentes da ANATEL não fizeram nada, nem mesmo responderam nosso e-mail dando uma posição de nossa denúncia. Por isso que o povo brasileiro fica revoltado; é a falta de interesse dos próprios órgãos públicos.

A rádio que diz ser comunitária estava gostando tanto de nossa programação, que até copiou o texto de duas vinhetas nossas, só para você ter noção; a rádio estava ligadaça em nossa programação.. RISOS

Quando foi no dia 04/06/2005, olha o que sempre esperamos, a presença da PF em nossa emissora: mas vou falar a verdade, eles foram muito educados, chegaram em nossa emissora o sr. delegado da PF e um agente, com muita postura e bem discretos. Chegaram, entraram para meu escritório e conversamos bastante. Ele nos disse que naquele momento estava ali porque não agüentava mais tanta ligação das outras emissoras na delegacia; ele tinha tanto trabalho que as emissoras da cidade não estavam deixando ele desenvolver em paz. A partir daí, ele pediu para ver a “possibilidade” de desligar o transmissor, porque na verdade ele não estava a fim de nos “sacanear” fazendo a apreensão do equipamento caso fosse solicitado pela ANATEL

Após essa conversa, ele conheceu nossa emissora, nosso transmissor, e foi embora, após o que reunimos toda nossa equipe, ficamos no ar mais 6 horas e paramos de transmitir. Mas estamos com toda a documentação pronta para enviar a ANATEL é claro, esperando um dia poder voltar a tocar a verdadeira música brasileira, e poder levar às pessoas da comunidade a verdadeira cultura e o espaço na radiodifusão. Aqui fica o meu abraço a todos aqueles que um dia ouviram nossa programação... VALEU”

OBS: Rádio montada por três pessoas só para tocar música e que denuncia outra rádio comunitária à Anatel não merece muito crédito.

Fonte: http://www.bocalivre.org

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

RESISTÊNCIA


Estudantes da Unicamp impedem PF de levar equipamentos de rádio comunitária


Portal Imprensa

Alunos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) impediram a entrada de policiais no campus, na manhã desta quinta-feira (15). Os agentes queriam levar equipamentos da Rádio Muda, emissora organizada pelos estudantes. As informações são da Carta Capital.

Segundo Carolina Filho, coordenadora do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Unicamp, a PF procura fechar a rádio porque ela não é oficializada. A operação já teria acontecido outras vezes, porém, nunca foi bem sucedida. "Para os estudantes, é sempre mal vista a entrada da polícia no campus", ressalta a estudante.

Há mais de 10 anos no ar, a Rádio Muda atinge bairros da zona norte de Campinas e possui mais de 200 programadores. Criada por alunos de Física e Engenharia Elétrica da universidade, a emissora transmite música e notícias sobre assuntos que vão desde futebol até movimentos sociais.

Entre suas bandeiras, a rádio defende a democratização da radiodifusão e é contra os conglomerados midiáticos. Se autodenomina como "livre, e não pirata, baseada no artigo 5° da Constituição".

Deputado da Paraíba orienta entidades para abertura de rádios comunitárias


O deputado federal Luiz Couto preocupado como mais um direito fundamental, o de se comunicar, informa que estão abertas as inscrições para as fundações e associações comunitárias que desejarem operacionalizar os serviços de radiodifusão comunitária.

O mandato do deputado em parceria com a Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária no Estado da Paraíba – ABRAÇO realizará um seminário no próximo dia 17 (sábado) com o intuito de repassar as orientações para a elaboração do requerimento e preparação da documentação que deverá ser entregue junto ao Ministério das Comunicações. O seminário acontecerá das 8h30 ás 12h na sede do Sindicato dos Urbanitários, localizado na rua Tavares Cavalcante 199, Centro, em Campina Grande.

As entidades comunitárias interessadas em participar do evento e do serviço de assessoria para a abertura da rádio deverão comparecer ao seminário com os seguintes documentos: estatuto, CNPJ e outros que acharem importante. Maiores informações, entrar em contato com o assessor do mandato José Moreira através dos telefones: 3241-4997, 8819-5905 e 9902-5577 ou pelo e-mail: jmsmoreira@yahoo.com.br, até a sexta-feira (16), pela manhã.

O mandato do deputado Luiz Couto tem prestado atendimento às entidades comunitárias que estão preocupadas em divulgar suas atividades e realizar uma boa comunicação em suas regiões.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

EBC e ONU Mulheres comemoram 30 anos do programa Viva Maria


Criado para dar voz às mulheres, programa Viva Maria da Rádio Nacional completa 30 anos no ar. A data será celebrada, nesta quarta-feira (14), com o lançamento do selo personalizado e carimbo comemorativo sobre o Dia Latino-Americano da Imagem da Mulher nos Meios de Comunicação e debate sobre “Comunicação e Gênero – A imagem da mulher nos meios de comunicação”, promovido pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), em parceria com a ONU Mulheres e os Correios.

Às 20h30 será realizado show com o grupo Loucas de Pedra Lilás e o stand up “Viva a celulite” com o grupo do Instituto Arcana de Brasília.

Em 14 de setembro de 1981, a radialista Mara Régia (foto) estreava , na Rádio Nacional, um programa dedicado à luta pelos direitos das mulheres. A Rádio Nacional foi o primeiro veículo de comunicação do país a dar identidade e voz às histórias de tantas e tantas Marias, numa iniciativa pioneira que contribuiu para tornar o programa Viva Maria referência para o rádio brasileiro.

Além do pioneirismo, o programa contribuiu com as conquistas das mulheres, entre elas a criação da primeira Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (DEAM) e do Conselho dos Direitos da Mulher do Distrito Federal, resultados de vigorosas campanhas públicas impulsionadas pelo Viva Maria.

Em 1990, realizou-se em San Bernardo, na Argentina, o 5º Encontro Feminista Latino-americano e do Caribe, que reunia, entre as participantes, um grande número de jornalistas e comunicadoras de diferentes países da região. Num gesto de reconhecimento da luta realizada pelo programa, elas elegeram o 14 de Setembro, data da inauguração do Viva Maria, “Dia Latino-Americano da Imagem da Mulher nos Meios de Comunicação”. Hoje ele consta do calendário oficial da ONU Mulheres e é comemorado em todos os países da América Latina.

Com formato de reportagens e entrevistas que privilegiam a participação das ouvintes, o programa acompanha desde as políticas públicas relacionadas às mulheres brasileiras às informações sobre a saúde sexual e reprodutiva feminina. O Viva Maria vai ao ar de segunda a sexta-feira, em diferentes horários, pela Rádio Nacional da Amazônia, Rádio Nacional de Brasília, Rádio Nacional do Rio de Janeiro e Rádio Nacional do Alto Solimões e também está disponível para download gratuito na página da Radioagência Nacional.

Fonte: ONU Mulheres